Elias Maluco vai a júri sob acusação de tentar matar policiais - WSCOM

menu

Economia & Negócios

02/08/2005


Elias Maluco vai a júri

O TJ (Tribunal de Justiça) do Rio confirmou para esta terça-feira o início do julgamento dos traficantes Elias Pereira da Silva, o Elias Maluco, e Márcio Batista dos Santos, o Dinho Porquinho, acusados de tentar matar um policial militar e quatro policiais civis durante uma incursão realizada no complexo do Alemão, em 2001.

O júri, que estava marcado para a semana passada, não ocorreu porque a Secretaria de Administração Penitenciária do Estado não apresentou o réu Elias Maluco, preso em Bangu 1. Na ocasião, a pasta informou que o secretário, Astério Pereira dos Santos, ordenou “que fosse apurada com a máxima urgência a responsabilidade sobre o fato, dentro do setor responsável por pautar [agendar] as apresentações dos 21 mil internos do sistema penitenciário fluminense”.

De acordo com o TJ, outro motivo para o adiamento do júri foi a ausência dos advogados de Dinho Porquinho, embora ele estivesse presente. O juiz Fábio Uchôa Montenegro, titular do 1º Tribunal do Júri, nomeou outro advogado para defender o réu.

Incursão

O crime aconteceu em 4 de janeiro de 2001. Os policiais, então lotados na Delegacia de Homicídios, afirmaram ter sido recebidos a tiros por 20 homens, entre eles Elias Maluco –que comandava o tráfico de drogas na região. Durante o tiroteio, um dos policias civis ficou ferido.

Outros dois denunciados pelo Ministério Público, Joel de Oliveira Carvalho, o Joel Bombeirinho, e Rodrigo Barbosa Marinho, o Rolinha, foram impronunciados por falta de provas.

Em maio deste ano, Elias Maluco foi condenado a 28 anos e seis meses de prisão pela morte do jornalista Tim Lopes, assassinado em 2002.

Notícias relacionadas