Eleições na ABL: Ronaldo Cunha Lima mantém candidatura e repudia Carta Anônima s - WSCOM

menu

Entretenimento

08/03/2006


Eleições na ABL: Ronaldo Cunha

EXCLUSIVO – Às vésperas da eleição que escolherá nesta quinta-feira o novo imortal da Cadeira 7 na Academia Brasileira de Letras, o poeta paraibano Ronaldo Cunha Lima anunciou a decisão de manter a candidatura. Ele repudiou o envio de Carta Anônima aos acadêmicos sobre o Caso Gulliver. ‘É deplorável o jogo sujo’, desabafou ele no WSCOM Online.

Já no Rio de Janeiro, onde chegou nesta quarta-feira, Ronaldo revelou que foi procurado para que desistisse da disputa, entretanto, após avaliação particular decidiu manter-se na disputa.

– É uma situação difícil porque em muitos casos os acadêmicos costumam ser eleitos depois de participar 3, 4 vezes, entretanto, tomei a decisão de me manter na disputa – comentou.

Carta Anônima – Ronaldo Cunha Lima revelou ainda que se aborreceu com a constatação de envio de Carta Anônima anexada de cópias de jornais da Paraíba reproduzindo o Caso Gulliver quando em 1991 disparou dois tiros contra o ex-governador Tarcisio Burity.

– Confesso que me chateei inicialmente com o expediente de baixo nível, mas já superei esse quadro até porque fui informado de que a maioria dos acadêmicos jogou a carta no lixo – afirmou.

Ronaldo explicou que, em duas oportunidades logo após a morte do ex-governador Burity esteve junto aos acadêmicos expondo o caso Gulliver, inclusive o perdão de Burity. ‘Considero uma história superada já assimilada pelos acadêmicos, mas lamento o uso excuso do expediente anônimo”.

O candidato à cadeira do embaixador Sergio Correia disse ao portal que “qual for o resultado mesmo reconhecendo a dificuldade na eleição, saberei respeitar a maifestação dos acadêmicos”.

Notícias relacionadas