É tudo ou nada! Começam neste sábado as oitavas da Copa do Mundo - WSCOM

menu

Mais Esporte

24/06/2006


É tudo ou nada! Começam

Confiantes, as seleções de Alemanha e Suécia abrem as oitavas-de-final da Copa do Mundo 2006. Com o ataque mais positivo da Copa, ao lado da Espanha, a Argentina tenta fazer prevalecer seu favoritismo contra México.

“A Copa do Mundo começa agora“. Foram essas as palavras usadas pelo técnico Jurgen Klinsmann para definir o jogo entre Alemanha e Suécia, que abre as oitavas-de-final e dá início ao “matar ou morrer“ no Mundial 2006.

Daqui pra frente, quem perder volta para casa. O primeiro duelo decisivo começa às 12h (de Brasília) deste sábado, no estádio Allianz Arena, em Munique.

Líder do grupo A com nove pontos em três jogos e apoiada pela torcida, a Alemanha vai a campo como favorita. Um favoritismo que até mesmo o técnico Jurgen Klinsmann e os jogadores admitem. “Vamos vencer. Se for preciso, alcançaremos isso em 120 minutos. Se não conseguirmos na prorrogação, iremos ao pênaltis. Mas vamos ganhar“, afirmou o treinador.

Ao mesmo tempo em que promete a vitória, o que ajuda a aumentar também o otimismo da torcida, Klinsmann elogia o adversário, com o claro objetivo de evitar que sua confiança pareça menosprezo. “Os suecos são um obstáculo e tanto. Vimos seus jogos no torneio e sabemos que são capazes de encarar os melhores times do mundo“, elogiou. EFE

Ljungberg, do Arsenal, é esperança sueca para furar o paredão alemão

Confiança, porém, também está sobrando do lado da Suécia. Após duas partida ruins, o time foi bem no fechamento da primeira fase e acredita que diante da Alemanha fará sua melhor apresentação na Copa do Mundo. “O segundo tempo contra a Inglaterra foi muito bom. Fisicamente fomos o time mais forte“, elogiou o técnico Lars Lagerback.

Na opinião do treinador sueco, nem mesmo o fato de o adversário atuar diante de seus torcedores diminui as chances de sua equipe. “É claro que é uma pequena vantagem para os alemães. Isso é incontestável. Mas nossos jogadores são experientes e sabem lidar com isso“, afirmou.

De certa forma, Lagerback acredita que jogar em território alemão será até um incentivo a mais para a Suécia. Isso porque, em 1992, a Alemanha foi responsável pela eliminação sueca na Eurocopa disputada na Suécia.

“Eu era um dos técnicos em 92. Não foi uma experiência nada boa perder em casa numa grande competição. Realmente eu gostaria de conseguir dar o troco“, admitiu.

Para aumentar ainda mais a confiança dos escandinavos, o atacante Zlatan Ibrahimovic está recuperado de contusão e estará em campo.

Em dívida devido às duas apresentações ruins que fez na Copa, ele espera recompensar a torcida com uma grande atuação neste sábado. Para isso, contará com a ajuda do fiel escudeiro Henrik Larsson, que ao entrar em campo diante da Inglaterra se tornou o jogador que mais vezes defendeu a Suécia em Copas do Mundo.

Do lado alemão, as contusões também não assustam mais. Ballack, que perdeu o primeiro jogo da Copa, mostrou que está bem e foi o destaque do time diante do Equador.

A missão dele neste jogo será, mais uma vez, municiar Klose, que tem quatro gols é até agora está isolado na artilharia da Copa do Mundo. Com nove no total, persegue Ronaldo (14 gols) como maior artilheiro na história dos Mundiais. Mais uma razão para o torcedor alemão comparecer à Allianz Arena neste sábado.

Argentina x México

A Argentina inicia, de fato, neste sábado, às 16h (horário de Brasília), em Leipzig, sua caminhada na busca pelo tricampeonato, diante do México, no primeiro dia de confrontos das oitavas-de-final da Copa da Alemanha.

Mais do que a classificação, os portenhos entram em campo para fazer valer o rótulo de um dos favoritos, desde que chegaram a Copa. E os números confirmam tais condições: o time tem o ataque mais positivo até agora na competição, ao lado da Espanha, com oito gols marcados e apenas um sofrido.

No entanto, a estratégia do técnico José Pekerman, desde o início, era evidente: esconder ao máximo tal “grife“, esboçando humildade e franqueza nas declarações. “Os mexicanos sempre podem marcar gols. É um time talentoso e competitivo. Nenhuma seleção pode achar que o México não é um rival forte“, discursou o comandante alviceleste. AP

Saviola está de volta ao ataque argentino contra os mexicanos

A Argentina entrará em campo “recuperada“ das baixas nos últimos jogos. Poupados no confronto contra a Holanda por estarem pendurados com cartão amarelo, os atacantes Crespo e Saviola voltam a formar a dupla de ataque. Assim, Tevez e Messi retornam ao banco.

O zagueiro Gabriel Heinze, também poupado no último jogo por cartão, volta para ocupar a vaga do xará Gabriel Milito. A única baixa deve ser o lateral Burdisso, que sofreu pancada no joelho na última partida e deve ser substituído por Coloccini.

Já o México tenta alcançar pela terceira vez a melhor marca em uma Copa do Mundo. Apenas nas duas vezes que sediou o Mundial – em 1970 e 1986 – avançou até as quartas-de-final. “O time continua a mostrar postura e personalidade. Temos uma nova oportunidade agora e não podemos deixá-la passar“, acredita o capitão Rafael Marquez.

O técnico Ricardo Lavolpe deve manter o atacante Fonseca, que marcou contra Portugal, mesmo com Borgetti recuperado de lesão. Já o brasileiro Antonio Nelson “Zinha“ deve substituir Luis Perez, que foi expulso no jogo de quarta-feira.