Dutra anuncia saída, e Rui Falcão deve assumir presidência do PT - WSCOM

menu

Política

29/04/2011


Dutra anuncia saída, e Rui Falcão assume

PT

Foto: autor desconhecido.

Em discurso durante a reunião do Diretório Nacional do PT na manhã desta sexta-feira (29), o presidente licenciado da sigla, ex-senador José Eduardo Dutra (SE), anunciou oficialmente sua renúncia ao comando partidário, motivada por problemas de saúde.

“Alguns companheiros aconselharam que eu poderia renovar a minha licença, mas avaliei que não seria justo nem comigo nem com o PT. Tomei uma decisão sobre a qual tenho total responsabilidade: sair agora da presidência do PT. O partido define seu novo presidente e eu me cuido”, afirmou Dutra para os aplausos dos militantes petistas.

Com a decisão, o partido deve efetivar no comando o vice-presidente, Rui Falcão, que ocupa a presidência interinamente desde o afastamento de Dutra, em março. Falcão deve ficar até 2013, quando os petistas realizarão novo processo de eleição direta.

Deputado estadual em São Paulo e ligado à senadora Marta Suplicy (PT-SP), Rui Falcão não integra a corrente majoritária do PT, a Construindo um Novo Brasil (CNB), que reúne algumas das principais lideranças do partido, entre as quais o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-ministro José Dirceu, o ministro Antonio Palocci e o próprio José Eduardo Dutra. Mas a indicação de Falcão, da corrente Novos Rumos, foi aprovada por unanimidade em uma reunião nesta quinta entre a CNB e outros dos principais agrupamentos internos petistas.

Na noite desta quinta, o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), já havia revelado que o atual vice-presidente nacional da sigla seria indicado para substituir Dutra.

"Na reunião da nossa chapa, o nome dele foi apoiado por todos e vai ser apresentado ao Diretório Nacional nesta sexta como o nome para dirigir o PT até 2013, quando teremos novo processo de eleição direta", afirmou Costa.

O nome de Falcão, que já comanda o partido durante a licença médica de Dutra, foi aprovado por unanimidade na reunião do grupo que o apoia.

Dutra

Ao falar aos integrantes do diretório nesta manhã, durante pouco mais de 20 minutos, Dutra afirmou que as especulações sobre a sua continuidade no comando do partido foram determinantes para a decisão de abdicar da presidência.

“Se vocês acompanharam, a minha primeira licença foi de 15 dias. Na véspera do 15º dia, já começaram a especular: ‘volta, não volta, vai ficar três meses fora’. Não é justo com o PT, porque gera instabilidade, porque o partido tem tarefas urgentes na conjuntura política [eleições 2012], e ruim para mim porque essa indefinição gera estresse”, argumentou.

Amigo de Dutra, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não compareceu à sede do partido nesta sexta. Ele era presença aguardada no último pronunciamento do colega como presidente do PT. O ministro das Relações Institucionais, Luiz Sérgio, além de deputados senadores acompanharam o pronunciamento.

O presidente petista que deixa o cargo sofre de hipertensão e teria desenvolvido depressão por conta dos problemas de saúde. Ele afirmou que, embora afastado do comando, vai continuar na militância. “Quero dizer que continuo. Vou deixar a presidência, mas vou continuar militando no partido.”

Notícias relacionadas