Duas últimas vítimas de incêndio em CT são identificadas - WSCOM

menu

Esporte

10/02/2019


Duas últimas vítimas de incêndio em CT são identificadas

Jorge Eduardo, uma das vítimas do incêndio — Foto: Arquivo Pessoal

Os dois últimos corpos dos jogadores do Flamengo mortos na tragédia do Ninho do Urubu foram reconhecidos na tarde deste domingo: Samuel Thomas e Jorge Eduardo, ambos de 15 anos de idade. Com isso, chegou ao fim essa parte do processo. Algumas das 10 vítimas fatais já foram, inclusive, enterradas. As famílias, agora, aguardam a liberação do Instituto Médico Legal.

A direção do IML não autorizou entrevista com os peritos envolvidos no caso, mas detalhou os passos da equipe na corrida para identificar e entregar cada um dos corpos dos meninos às famílias. As duas últimas vítimas, Jorge Eduardo e Samuel, foram reconhecidos por meio de características físicas, a chamada antropologia forense.

Samuel Thomas, uma das vítimas do incêndio  — Foto: Reprodução Facebook

Samuel Thomas, uma das vítimas do incêndio — Foto: Reprodução Facebook

Depois de os peritos detectarem diferenças consideráveis na comparação entre os dois últimos corpos, o IML solicitou ao Flamengo exames que dessem informações detalhadas sobre o biotipo dos meninos. Essa foi a última tentativa antes do teste de DNA, que seria feito a partir de segunda-feira. Além da ajuda com documentos, o clube disponibilizou um médico, um psicólogo e seguranças para auxiliar as famílias

– Alegre nós ficamos porque o corpo foi liberado. Mas não era essa reportagem que queria dar para vocês. Queria dar a reportagem com o Samuel cruzando, fazendo gols, realizando o sonho dele, no qual foi interrompido. Lamentavelmente estamos aqui hoje dando uma entrevista sobre um Samuel que não pode dar entrevista. Mas tem os tios, os pais, os amigos que podem falar por ele – disse Sebastião, tio de Samuel.

De camisa branca, tio de Samuel conversa com o psicólogo Alberto Filgueiras — Foto: Thayuan Leiras / GloboEsporte.com

De camisa branca, tio de Samuel conversa com o psicólogo Alberto Filgueiras — Foto: Thayuan Leiras / GloboEsporte.com

As identificações de Jorge e Samuel foram as mais complicadas pelos estados dos corpos. Não foi possível coletar impressões digitais, e a análise das arcadas dentárias foi inconclusiva.

Como última tentativa, os peritos se debruçaram sobre detalhes físicos dos meninos e da cena do crime, como onde os corpos foram encontrados. Dentre os muitos indícios coletados, a diferença de 10 centímetros de altura entre um e outro foi fundamental.

 — Foto: Infografia

— Foto: Infografia

Os 10 mortos identificados: Christian Esmério, 15 anos; Arthur Vinícius de Barros Silva Freitas, 14 anos; Pablo Henrique da Silva Matos, 14 anos; Bernardo Pisetta, 15 anos; Vitor Isaias, 15 anos; Samuel Thomas Rosa, 15 anos; Athila Paixão, 14 anos; Jorge Eduardo, 15 anos; Gedson Santos, 14 anos; e Rykelmo Viana, 16 anos.

Três jogadores ficaram feridos e estão internados em hospitais no Rio de Janeiro. Jhonata Cruz Ventura segue internado no Hospital Pedro II, sedado e respirando por aparelhos, segundo o boletim médico divulgado neste domingo. O jogador, de 15 anos de idade, sofreu queimaduras em 35% do corpo e está em estado grave. Outros dois estão no Hospital Vitória: Cauan Emanuel Gomes Nunes, de 14 anos, recebeu alta do CTI e foi para o quarto, e Francisco Diogo Bento Alves, de 15, segue no CTI.

O incêndio ocorreu no fim da madrugada, em uma parte antiga do Ninho do Urubu que servia de alojamento para as categorias de base do Flamengo, logo na entrada do CT. Os bombeiros foram acionados às 5h14, chegaram ao local às 5h38 e controlaram o fogo em pouco menos de uma hora.

Globo Esporte