Domingo tem ciranda e teatro de bonecos no 'Curto Circuito' - WSCOM

menu

Entretenimento

05/03/2006


Domingo tem ciranda e teatro

O Projeto ‘Curto Circuito’ começa o mês de março apresentando a cirandeira ‘Penha’, da cidade de Pilar, e a companhia de teatro de bonecos ‘Flor de Mamulengo’, com os espetáculos ‘Menino de rua’, ‘As desventuras de um padre’ e ‘Atendimento padrão’, que têm a coordenação do professor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Florismá Melo. Cada peça tem a duração de 20 minutos e está marcada para começar a partir das 17h deste domingo, 5, na Feirinha de Tambaú, na avenida Almirante de Tamandaré, em Tambaú.

O grupo ‘Flor do Mamulengo’ foi formado a partir da experiência acumulada por Florismá Melo, com dois anos de especialização na Inglaterra em teatro de bonecos e outros 22 como coordenador e professor do Laboratório de Teatro de Bonecos do Departamento de Arte da UFPB. Ele diz que resolveu dedicar seu trabalho e pesquisa ao universo do teatro de bonecos porque levou em consideração o reconhecido valor da atividade como recurso de comunicação de massa.

“É comprovado sua importância como meio de desenvolvimento da ação educativa nos níveis intelectual, emocional e estético; seus reconhecidos valores terapêuticos e recreativos, além de elo entre as diferentes faixas etárias, classes sociais e níveis culturais. Todos vibram com a mesma atenção e fascínio quando assistem a um espetáculo de bonecos”, declarou o professor. Além de Florismá – autor e diretor dos espetáculos – também fazem parte do elenco Cristina Medeiros e Beto Black que atuam como atores-manipuladores.

‘Menino de rua’ – Diálogo entre um menino de rua e um político, onde o político tenta humilhar a criança fazendo-a acreditar na sua de inutilidade diante da sociedade. Só que durante essa conversa o político descobre que o interlocutor tem 16 anos e pode votar e aí muda totalmente sua atitude, tentando induzir o menino a votar nele, inclusive querendo comprar seu voto. Com esperteza, o menino acaba dando a volta por cima e enrolando o candidato.

‘As desventuras de um padre’ – As aventuras e desventuras de um padre no sertão, no auge da seca, à procura da paróquia para a qual foi designado. Durante sua peregrinação, encontra diferentes personagens da região, a quem pede informações e fica mais confuso e perdido com as respostas obtidas.

‘Atendimento padrão’ – Uma senhora precisa de um atendimento médico e tenta utilizar-se do serviço da associação da qual faz parte, mas não obtém grande sucesso, passando por todas as contrariedades que a maioria dos associados e segurados enfrenta numa situação como essa. Depois de muita discussão pelo telefone e pessoalmente com o secretário e o diretor da associação, acaba por não conseguir realizar seu objetivo.

Notícias relacionadas