Dois dos acusados do assassinato de Vivianny Crisley têm julgamento adiado - WSCOM

menu

Paraíba

28/02/2018


Dois dos acusados do assassinato de Vivianny Crisley têm julgamento adiado

Foto: autor desconhecido.

Os réus Fágner das Chagas e Jobson Barbosa da Silva, acusados pela morte de Vivianny Crisley, tiveram seu júri, que seria realizado na tarde de hoje (28), adiado para maio. Ambos trocaram defensores públicos por advogados particulares, que precisarão de tempo para analisar o caso. O julgamento de Allex Aurélio Tomas dos Santos ainda ocorre, na sala do Tribunal do Júri do Fórum Juiz João Navarro Filho, em Santa Rita.

Segundo a juíza Lilian Cananéa, o caso Vivianny Crisley teve início em um bar no Bairro dos Bancários, em João Pessoa, quando a vítima teria pego uma carona com os acusados. O corpo da jovem foi encontrado carbonizado na cidade de Santa Rita, no dia 7 de novembro de 2016, após um sumiço de duas semanas.

Ao passar por exames de necrópsia por uma equipe do Instituto de Polícia Científica (IPC), o corpo foi identificado como sendo o de Vivianny. Ainda de acordo com a perícia, ela foi morta com vários golpes de chave de fenda e teve o corpo queimado com ajuda de gasolina e um pneu.

À época, dois suspeitos foram presos no Rio de Janeiro e outro na Paraíba e Allex Aurélio
confessou o crime, afirmando que Vivianny Crisley foi morta, porque começou a gritar após pegar uma carona com os três homens na saída do bar, pedindo para ser levada para casa.

 

Notícias relacionadas