Disputas locais impedem votações no Senado - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

29/06/2006


Disputas locais impedem votações no

O embate político previsto para a campanha eleitoral deste ano impediu ontem à noite que senadores destravassem a pauta do Senado e votassem a liberação de recursos para seis estados do país.

Os líderes governistas e de oposição haviam fechado acordo para votas as cinco medidas provisórias que trancam a pauta, o que abriria caminho para a análise de empréstimos de instituições financeiras internacionais a cinco estados: Ceará, Tocantins, Mato Grosso do Sul, Bahia e Pará.

No entanto, os três senadores do Tocantins — João Ribeiro (PL-TO), Eduardo Siqueira Campos (PSDB-TO) e Leomar Quintanilha (PC do B-TO) — manobraram e conseguiram impedir as votações.

Os três queriam impedir a liberação de recursos para o governo de seus estados. Ribeiro, Siqueira Campos e Quintanilha são adversários do atual governador de Tocantins e candidato à reeleição, Marcelo Miranda..

Siqueira Campo afirmou, da tribuna do plenário, que o governo local vai roubar os recursos que forem liberados com a aprovação do crédito. “Dinheiro nas mãos do atual governo é dinheiro a ser roubado”, declarou.

Os senadores terão até a próxima terça-feira para votar todas as medidas provisórias para então aprovar esses empréstimos. Se os senadores fracassarem nesse cronograma, o dinheiro não será liberado, pois a legislação eleitoral impede a contratação de empréstimos no prazo de 180 dias até a conclusão do mandato do atual governador.

Como parte dos senadores estará, nesta quinta, compromissada com convenções partidárias, são pequenas as chances de votação. A decisão dos senadores do Tocantins impediram a votação das medidas provisórias que, por exemplo, reajustam em 16,7% os rendimentos de aposentados e pensionistas da Previdência Social.

A senadora Ideli Salvatti (PT-SC) afirmou queo texto deve ser aprovado sem alterações, mas o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve vetar parte da Medida Provisória para evitar custos ao orçamento da União.