Direitos de transmissão: Globo paga menos e exige mais - WSCOM

menu

Futebol

19/04/2011


Globo paga menos e exige mais

Transmissão

Foto: autor desconhecido.

 O contrato que o Clube dos 13 assinou com a RedeTV! para a cessão dos direitos de TV aberta dos próximos Campeonatos Brasileiros é mais favorável aos clubes do que os que as próprias agremiações assinaram com a TV Globo.

A reportagem conseguiu cópias dos dois contratos, bem como de outros contratos com a Globo – o C13 só promoveu até agora uma licitação.

A partir desta terça-feira começará a explicar os documentos que irão reger as transmissões do Campeonato Brasileiro pelos próximos três anos, caso o C13 vença a disputa, ou quatro, caso a Globo seja a vitoriosa – hoje o mais provável.

As diferenças entre os dois contratos de TV aberta são gritantes em vários pontos.

A primeira vantagem do contrato do C13 é o prazo. Com um acordo por três anos, em 2015, já estaria em vigor um novo contrato, com valores um pouco ou muito maiores do que o atual. Desde que a Globo assinou o primeiro contrato de transmissão do Brasileiro, em 1987, o valor jamais cresceu menos do que o índice de inflação do período. A maior variação de um triênio para outro foi de 100%. Assim, com o vínculo com a Globo, os clubes em 2015 deixarão de ganhar entre 15% e 100% a mais.

O vínculo mais longo e mais forte é a marca do contrato desenhado pela Globo e entregue aos clubes só para assinar. A única cláusula que esteve em discussão foi o valor. O contrato da RedeTV!, ao contrário, foi feito pela entidade de clubes.

O contrato da Globo, basicamente, faz mais exigências e oferece menos dinheiro e menos garantias do que o da RedeTV!

Uma das coincidências é o valor da multa em caso de atraso do pagamento de parcelas: apenas 2% de multa e 1% de juros ao mês. Isso significa que entre pagar a parcela e pagar um empréstimo, certamente a emissora vai optar por atrasar o primeiro.

Por fim, por todos os valores divulgados até agora, a Globo não pagará aos clubes o mesmo que eles conseguiriam caso tivessem ficado com o Clube dos 13. Para começar, o acordo da Globo mira apenas 18 clubes. Guarani e Portuguesa estão fora. E condenados a viver com as migalhas dos clubes menores.

‘Globo é real’, diz Paulo Odone

O Grêmio, um dos primeiros clubes a assinar o contrato de direitos de transmissão com a Globo, levou em consideração, especialmente, um pedido de seus patrocinadores.

– O contrato com a Globo é real. Tanto que já recebemos as luvas. Não dá para considerar só o valor direto, tem também fatores indiretos, como a visibilidade dos parceiros – diz o presidente Paulo Odone.

Apesar da explícita rivalidade com Fábio Koff, dada a influência no Tricolor gaúcho, Odone afirma que a decisão foi técnica.

– Ele foi irresponsável por assinar com a Rede TV!, que não apresentou garantias bancárias – frisa.

Bate-Bola – Aod Cunha (Ceo do Internacional)

Qual contrato parece mais vantajoso para você?
Defendemos desde o início a negociação coletiva, o melhor para o futebol. Tomamos por base ligas europeias, que extraíram valores maiores e melhor distribuíram os recursos.

Melhor a Rede TV!?
Houve um movimento e uma avaliação que não pôde se concretizar. Independentemente de quem teve culpa. Mas a licitação cumpriu o seu papel. Os valores, no fim das contas, são maiores e mais próximos do que todos queriam.

Notícias relacionadas