Desfalcadas, Ucrânia e Suíça fazem confronto de azarões da Copa - WSCOM

menu

Mais Esporte

26/06/2006


Desfalcadas, Ucrânia e Suíça fazem

Ucrânia e Suíça se enfrentam nesta segunda-feira às 16h (de Brasília) no estádio Rhein Energie, em Colônia. Os dois times chegam às oitavas-de-final como azarões e, devido aos desfalques, terão que jogar com times diferentes dos que os levaram até a segunda fase da Copa do Mundo.

AFP

Quando estiverem em campo, Ucrânia e Suíça já saberão quem será seu possível adversário nas quartas-de-final, já que Itália e Austrália disputam a vaga às 12h (de Brasília) em Kaiserslautern.

Ucrânia e Suíça chegaram à Copa do Mundo no grupo dos piores times europeus no momento. Apesar de ter sido o primeiro time do continente a se classificar para o Mundial, a Ucrânia, que faz sua estréia como país independente, é a última equipe européia no ranking da Fifa. Dos 32 países que participam da competição, o país do Leste Europeu está à frente apenas de Trinidad e Tobago, Togo, Gana e Angola, já que figura na 45ª.posição.

Os suíços ocupam o 35º lugar do ranking e tentam chegar novamente entre os oito primeiros da competição, como fizeram nas Copas de 1934 , 1938 e 1954.

“Como time podemos mostrar ao mundo que temos ambição. Não somos mais a pequena Suíça”, garantiu o atacante Alexander Frei, que já marcou dois gols nesta Copa.

Neste sábado, dois dias antes da partida decisiva, a delegação suíça sofreu um duro golpe ao anunciar que seu zagueiro Philippe Senderos não poderia mais jogar até o fim do Mundial. O jogador deslocou o ombro na partida contra a Coréia do Sul e ficará em recuperação por pelo menos seis semanas. Senderos marcou o gol que garantiu a liderança suíça no Grupo G, na vitória de 2 a 0 sobre os sul-coreanos.

No lugar de Senderos, entrará o zagueiro Johan Djourou, de apenas 19 anos. Apesar de inexperiente, o jovem jogador do Arsenal afirmou que está bem preparado para encarar a responsabilidade e garantiu que não tem medo do atacante ucraniano Shevchenko, principal ídolo do time adversário.

“Para o time, é apenas um jogador chegando para substituir outro. Acho que já mostrei que posso jogar e estou relaxado para o jogo. Eu sei que Shevchenko é um grande jogador, mas é importante que eu esteja focado em apenas atuar bem. Se eu tivesse com medo de encará-lo, isso facilitaria as coisas para a Ucrânia”, garantiu Djourou, que já entrou em duas partidas no Mundial.

Em recuperação de uma lesão muscular no abdômen, o meia suíço Daniel Gygaz deverá ficar fora do jogo para dar lugar a Yakin, que foi bem na partida contra a Coréia do Sul. Mesmo assim, Gygaz estará à disposição do técnico Kuhn para participar do jogo contra a Ucrânia.

“Ele conseguiu treinar no sábado e sente apenas um pouco de dor. Somos otimistas com sua recuperação até segunda-feira”, destacou o medico suíço Rudolf Rueder.

A principal arma suíça para chegar às quartas-de-final será a forte defesa do time. Neste Mundial, a Suíça é até agora o único time que ainda não levou gols, graças aos zagueiros Senderos e Muller e ao goleiro Zuberbuehler.

“Será uma tarefa difícil porque ninguém conseguiu ultrapassar a zaga deles. Mesmo assim, seria ótimo ser o primeiro a marcar e ainda classificar meu time”, destacou o atacante ucraniano Shevchenko, grande esperança da equipe para furar a defesa suíça.

No lado ucraniano, o técnico Oleg Blokhin ficará sem seus dois principais zagueiros, Andriy Rusol e Vyacheslav Sviderskyi, que terão de cumprir suspensão por terem levado o segundo cartão amarelo na vitória contra a Tunísia por 1 a 0. Com a falta de jogadores na defesa ucraniana, o treinador chegou até a brincar sobre seu desfalcado time.

“Talvez eu tenha que escalar minha comissão técnica e até eu mesmo para a partida das oitavas”, ironizou.

No lugar dos dois jogadores entrarão o meia improvisado Gusev e o zagueiro Vashchuk, que jogou apenas na goleada sofrida para a Espanha na estréia.

Com cautela, Blokhin tem se preocupado com a atuação de seus jogadores na primeira fase do Mundial. Pelo Grupo H, a Ucrânia terminou em segundo lugar, com duas vitórias e uma derrota.

“A equipe terá que se concentrar antes de segunda-feira. Precisamos jogar muito melhor do que jogamos até agora. Estou ansioso, mas acredito que a Ucrânia poderá se classificar para as quartas-de-final. A esperança é a última que morre”, declarou o técnico após a magra vitória contra a Tunísia, que garantiu a classificação do time em segundo lugar do Grupo H.

SUÍÇA x UCRÂNIA

Suíça

Zuberbuehler; Magnin, Djourou, Muller, Degen; Wicky, Vogel, Cabañas, Barnetta; Yakin, Frei

Técnico: Jacob Kuhn

Ucrânia

Shovkovskiy; Yezerskiy, Gusev, Vashchuk, Nesmachniy; Rebrov, Shelayev, Tymoshchuk, Kalinichenko; Voronin, Shevchenko

Técnico: Oleg Blokhin

Data: 26/06/2006 (segunda-feira)

Horário: 16h (horário de Brasília)

Local: estádio Rhein Energie, em Colônia

Árbitro: Benito Archundia (MEX)

Auxiliares: Jose Ramírez e Héctor Vergara (MEX)

Notícias relacionadas