Desembargador Nestor Alves se aposenta e se despede do Pleno do TJ - WSCOM

menu

Paraíba

25/08/2005


Desembargador Nestor Alves se aposenta

O desembargador Nestor Alves de Melo Filho despediu-se nesta quarta-feira do Tribunal de Justiça, em virtude de sua aposentadoria compulsória. Ele foi homenageado pelos demais membros da Corte, recebendo palavras elogiosas de cada um deles.

“Se dependesse de mim, continuaria trabalhando nesta Corte pelo resto de minha vida, mas vou embora para Passárgada, lá eu também sou feliz”, respondeu Nestor, fazendo referência ao poeta Manoel Bandeira, depois de ouvir as mensagens de despedida.

O presidente do TJ fez referências à trajetória de Nestor, destacando momentos de sua vida como político e advogado militante, antes de ingressar na Magistratura. Lembrou sua carreira como juiz auditor militar, até chegar ao cargo de desembargador. “Aqui na Corte, um homem com origens rurais, provou mais uma vez sua competência, humildade e autenticidade com seus brilhantes votos. Que Deus acompanhe seus passos, de sua digníssima esposa, Dona Maria José, e de seus filhos. Seu dever foi muito bem cumprido.”O desembargador João Antônio de Moura, vice-presidente do Tribunal de Justiça, revelou que conhece o desembargador Nestor desde o início da década de 70, ainda como estudante de Direito. Chegamos a trabalhar no mesmo processo e ele sempre foi uma pessoa pacata, simples e inteligente. “Tenho certeza que Nestor está saindo não por vontade própria, até porque conhecemos todas as condições físicas e intelectuais para continuar ocupando sua cadeira e vestindo sua toga”. Disse.

“Em todas as ocasiões o desembargador Nestor foi um exemplo de vida.É uma pessoa abençoada por Deus”, afirmou o presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), desembargador Luiz Silvio Ramalho Júnior. O desembargador Antônio de Pádua Lima Montenegro, vice-presidente do TRE, disse que apesar de ser uma hora de despedida, não é momento de tristeza. “Nestor está saindo deste Tribunal inteiro, saudável e em plenas condições de continuar trabalhando em outras áreas profissionais. Deus está fechando uma porta e abrindo várias janelas de oportunidade”.

O decano do Tribunal de Justiça, desembargador Antônio Elias de Queiroga, foi categórico ao afirmar que “a perda para o Judiciário paraibano será grande, pois Nestor é um juiz sábio e conselheiro. Por força desta lei ultrapassada, esta Corte ficará mais vazia com sua ausência”. O desembargador José Martinho Lisboa destacou a personalidade de Nestor como homem e julgador. “O conheço há mais de 40 anos. Nestor é um exemplo de dignidade profissional, de chefe de família e de amigo. Sua competência, responsabilidade e simplicidade traçam sua personalidade marcante”.

O desembargador Marcos Souto Maior enfatizou a amizade pessoa com o desembargador Nestor. “Tive várias oportunidade de desfrutar da sua presença e de sua família na minha casa. Seus conselhos me servirão para sempre e os laços de amizade e parentesco permanecerão”.disse ele. O desembargador Plínio Leite Fontes fez referência à sua lealdade. Sua lealdade o acompanhou por todos os cargos que assumiu e certamente o acompanhará por tantos outros”.

O desembargador Abraham Lincoln da Cunha Ramos disse que Nestor sempre decidiu pelo bom senso, quer seja na área penal ou cível. Tive o prazer e a honra de poder trabalhar com Nestor ainda na 2a Câmara, inclusive como seu revisor em algumas ações. “O tempo é implacável. De repente, uma vida inteira dedicada ao trabalho chega ao fim. Mas, o fato de uma aposentadoria não implica dizer que a vida parou. Somos da gloriosa turma de 1964. Com todos os problemas da revolução, estávamos firmes ali, lutando por nossos ideais. Vossa excelência é combativo. Não deixe este mandamento constitucional impedi-lo de continuar combatendo com o bom combate”, frisou o desembargador Jorge Ribeiro da Nóbrega.

Notícias relacionadas