Depois da pressão, deputados aprovam por unanimidade regulamentação do Transport - WSCOM

menu

Política

19/10/2005


Depois da pressão, deputados aprovam

Foi aprovado na manhã desta quarta-feira 19 no plenário da Assembléia Legislativa o projeto de lei que regulamenta o Transporte Alternativo em todo Estado da Paraíba. O projeto foi aprovado por unanimidade em sessão extraordinária aberta por volta das 11 horas, cedendo a pressão feita desde ontem à noite pelos alternativos, que acamparam em frente a AL.

Pela manhã, os motoristas ocuparam as galerias. Depois da aprovação, o grupo saiu em carreata até Santa Rita.

O projeto, de autoria da deputada Francisca Motta (PMDB) e que teve apoio do deputado Frei Anastácio (PT), vinha se arrastando há três anos na Casa.

Os alternativos fizeram vigília na frente da Assembléia Legislativa desde ontem à noite e ameaçaram permanecer por lá até a aprovação do projeto.

Depois do anuncio da aprovação do projeto os alternativos comemoraram bastante, se abraçaram e até choraram. O presidente do Sindicato dos Alternativos, Francisco das Chagas, agradeceu aos deputados e a imprensa e disse ter certeza que o governador Cássio Cunha Lima irá sancionar a lei.

A deputada Francisca Motta afirmou que os deputados fizeram justiça. “Por diversas vezes os alternativos saíram desta Casa chorando de tristeza, mas hoje eles saem chorando de alegria”.

O deputado Frei Anastácio disse que a aprovação do projeto não significa apenas uma vitória para os alternativos, mas para Assembléia Legislativa e afirmou que o resultado não poderia ser contrário, pois segundo ele, se trata de um projeto muito bem elaborado.

Como fica o transporte alternativo:

De acordo com o projeto aprovado, todos os veículos devem estar cadastrados no Sindicato e no DER (Departamento de Estradas e Rodagem)

Devem ter no maximo 15 anos de fabricação e passar por vistoria anual

O condutor deve estar domiciliado no Estado a mais de 1 ano

Serão instalados postos fixos de embarque e desembarque

Os carros serão adesivados e só serão regulamentados quem já está registrado no Sindicato dos Alternativos.

Notícias relacionadas