Depoimento de Duda estressa mercado - WSCOM

menu

Economia & Negócios

11/08/2005


Depoimento de Duda estressa mercado

O depoimento do publicitário Duda Mendonça na CPI do Mensalão (ou da Compra de Voto) provocou uma reviravolta no mercado. Duda admitiu que recebeu recursos de “caixa 2” do empresário Marcos Valério em conta no exterior para quitar dívidas de campanha eleitoral de candidatos do PT em 2002. O publicitário não chegou a afirmar que a campanha do então candidato Lula da Silva foi paga com dinheiro de “caixa 2”, acrescentando que é possível dividir o que é dinheiro oficial do que é dinheiro de “caixa 2” nas campanhas para candidatos do PT.

Mas a declaração de Duda foi suficiente para acirrar os ânimos da oposição, levando o senador Álvaro Dias (PSDB-PR) a afirmar que não dá mais para não falar em impeachment do presidente Lula. O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), em conversa com o presidente do PFL, Jorge Bornhausen, disse que “a sensação é de que há um clima de impeachment”.

Tanto o depoimento de Duda quanto as declarações dos senadores tucanos fizeram o Ibovespa acentuar o movimento de baixa, atingindo a mínima do dia, por volta das 15h30, com 26.618 pontos (-1,84%). O mercado cambial também refletiu o novo cenário político e negociava o dólar, no mesmo horário, na máxima do dia, em alta de 3,20%, cotado a R$ 2,352.

O dólar reflete também a alta do petróleo e o entendimento do mercado de que o Banco Central está disposto a voltar à compra de dólares. Na BM&F, os contratos de DI com vencimento em janeiro/2007 subiam para 17,85%, ante 17,58% no fechamento de ontem.

Notícias relacionadas