Denúncias sobre PSFs da Capital começam a ser fiscalizadas amanhã pela Curadoria - WSCOM

menu

Paraíba

17/10/2005


Denúncias sobre PSFs da Capital

A Curadoria do Cidadão colocará em campo, nesta terça-feira, 18, comissão para averiguar denúncias do Conselho Regional de Medicina (CRM) sobre irregularidades em núcleos do Programa Saúde da Família(PSF) na Capital.

A denúncia partiu do próprio CRM que fiscaliza periodicamente os 180 PSFs de João Pessoa. “Existem problemas estruturais e de manutenção, em alguns deles faltam remédios e equipamentos”, informa João Alberto Morais Pessoa, diretor do departamento de fiscalização do CRM.

Entre os PSFs com irregularidades estão os dos bairros da Esplanada, Ernani Sátiro, Jardim Planalto e Cruz das Armas. “Nesses não existem forro nos prédios, nem sala para vacinação, privacidade para os atendimentos ou balança para pesagem. No de Cruz das Armas faltam nebulizadores”, conta.

Também existem problemas de segurança. “Os médicos chegam a receber ameaças de morte”, lamenta Morais. Segundo ele, nem todos os PSFs têm reclamações. “O problema maior é que não existe uma estrutura de hospitais de referência, assim quando há uma complicação maior, o núcleo não tem para onde encaminhar”, completa.Baratas e ratos –o diretor informou que o Hospital Regional de Cajazeiras foi interditado por inúmeras irregularidades. “Na sala de isolamento da CTI havia um buraco por onde saiam baratas e ratos. Disseram que até cobra já saiu por lá”, estranha.

Como o hospital ainda tinha pacientes o CRM proibiu novas internações. Os médicos permanecem atendendo apenas os pacientes que já estão internados. A denúncia foi encaminhada a Curadoria do Cidadão daquela cidade.

Ao longo do ano o CRM tem feito fiscalizações periódicas nos hospitais e laboratórios do Estado. Foram 40 hospitais visitados, muitos com irregularidades.

Desde janeiro já foram fechadas no Estado a Maternidade Frei Damião de João Pessoa, o Hospital Alfredo Barbosa de Cabedelo, o Hospital Regional de Guarabira, além do Hospital Regional de Cajazeiras.

São encontrados todos os tipos de irregularidades. “Alguns hospitais funcionam sem comissão de ética, medicamentos, revisão de prontuário, comissão de infecção hospitalar, insumos, material de sutura, tem hospitais que funcionam sem alvará da segurança sanitária”, alerta Morais. Desfiando uma lista que praticamente não tem fim.

Notícias relacionadas