Dengue cai gradativamente na Paraíba, segundo dados da Saúde Estadual - WSCOM

menu

Paraíba

27/07/2007


Dengue cai gradativamente na Paraíba,

O Governo do Estado, por meio de sua Secretaria da Saúde, divulgou nesta sexta-feira, 27, mais um boletim informativo sobre a situação da dengue na Paraíba. Os números apontam para uma gradativa queda no número de notificações, o que demonstra uma redução dos casos de dengue do Estado. Dos 223 municípios paraibanos, 59 permanecem sem um único registro de casos da doença.

Conforme dados da Gerência Executiva de Vigilância em Saúde, de um quantitativo de pouco mais de 600 casos por semana, a Paraíba agora passa a registrar menos de 200 notificações da doença. Para se ter uma idéia, na última semana foram registrados apenas 197 casos, o que mostra uma gradativa redução dos índices registrados no inicio do ano.

Até a semana terminada em 20 de julho, o Sistema Nacional de Notificação de Agravos (Sinan) havia registrado 7.738 casos, sendo João Pessoa o município com maior número, 1960, que corresponde a 26,9% dos casos do Estado.

Patos com 395, Monteiro 313, Juru 247, Santa Helena 234, São João do Tigre 223, Esperança 194, Emas 185, Araruna 163, Sousa 158 e Campina Grande com 149 casos são os detentores dos maiores índices na Paraíba. Esses municípios representam 60% dos casos do Estado.

Em razão do aumento de casos de dengue na Capital, o Governo do Estado, através de sua Secretaria da Saúde, em parceria com a prefeitura de João Pessoa, fecharam o cerco e declararam guerra contra o mosquito transmissor da doença. Com diversas ações conjuntas em curso, a expectativa é que a dengue caia mais significativamente na cidade.

Para isso, seis veículos do tipo UBV (Fumacê) já foram mobilizados para percorrer todos os bairros e localidades de João Pessoa em busca de controlar os focos do mosquito Aedes Aegypti.

A guerra contra o Aedes Aegypti está sendo travada com a participação da Prefeitura da Capital e a colaboração decisiva da sociedade. Três veículos fumacê foram disponibilizados para o município e dois estão sendo usados pelo Estado para a realização das ações contra a dengue.

As ações contra o avanço da dengue na Capital já começaram e fazem parte da estratégia traçada para diminuir o índice de infestação predial a níveis de 3%, evitando assim o aumento de casos de dengue hemorrágica. “A redução desse indicador significa a incompatibilidade com a transmissão, daí a preocupação em diminuí-lo”, explica a Gerente Executiva de Vigilância em Saúde da SES, Dionéia Garcia.

Conforme ela, “ao longo dos anos o comportamento da dengue na Paraíba tem sido o mesmo. Inicia o aumento de casos com as primeiras chuvas e apresenta maior concentração nos meses de abril e maio”, complementa.

Notícias relacionadas