Delegado pede prisão preventiva de acusados na morte de Morceguinho - WSCOM

menu

Policial

12/04/2011


Polícia quer presos acusados de crime

Foragidos

Foto: autor desconhecido.

Os acadêmicos Eduardo Cavalcanti Ramos de Carvalho e Jocelino Ramos de Carvalho, respectivamente estudantes de Medicina Veterinária e de Medicina foram indiciados juntamente com o empresário Danilo Cavalcanti Vieira, o “Danilo Godoy”. De acordo com as investigações, eles são acusados pelo assassinato do instrutor de jiu jitsu, Rufino Gomes de Araújo Neto, o “Morceguinho”.

Os três foram indiciados em inquérito policial pelo delegado Isaias Gualberto que solicitou a Justiça a prisão preventiva do trio. A determinação judicial está sob a responsabilidade do juiz José Aurélio da Cruz, do 2º Tribunal do Júri Popular da Capital. Eduardo, Jocelino e “Danilo Godoy” estão foragidos.

“Morceguinho” foi assassinado na noite do dia 25 de janeiro desse ano, na avenida Afonso Pena, no bairro do Bessa, em João Pessoa. Ele estava numa moto de sua propriedade após deixar uma academia onde era professor de arte marcial.

Durante as investigações o delegado descobriu que a motivação para o crime foi uma desavença entre o lutador de jiu jitsu e os acusados durante uma festa que se realizava no bairro de Intermares, em Cabedelo durante o Fest Verão.

Segundo informações colhidas pela reportagem do WSCOM, uma dose de uísque teria iniciado a discussão entre amigos de Morceguinho e o grupo do acusado no estacionamento de uma festa no bairro de Intermares, em Cabedelo, mas teria começado ainda dentro do evento.

As informações dão conta ainda que o acusado de ser mandante do crime pediu uma dose de uísque no bar da festa e um dos amigos do professor também, a atendente do bar entregou a primeira dose ao amigo de “Morceguinho”, o acusado não gostou e se iniciou aí a discussão que mais tarde acabaria em morte.

No estacionamento os dois grupos voltaram a se encontrar e a discussão se reiniciou e evoluiu para uma briga. Até então “Morceguinho” não tinha entrado na estória, foi quando ele tentou acalmar os ânimos e separar a briga. Ele começou a ser atingido e xingado. Como era especialista em artes marciais, conseguiu levar a melhor, mesmo contra três agressores que terminaram a briga bastante machucados.

Após a briga, o professor e seus amigos foram ameaçados. Dois dias depois, “Morceguinho” foi perseguido e executado a tiros. Desde então, os outros envolvidos na briga estão escondidos com medo de também serem mortos, já que também foram jurados pelos acusados.

Notícias relacionadas