Delegação do Brasil em Londres exige culpado pela morte de Jean - WSCOM

menu

Internacional

24/08/2005


Delegação do Brasil em Londres

A delegação do governo do Brasil enviada a Londres para esclarecer a morte de Jean Charles de Menezes afirmou nesta quarta-feira que “alguém deve ser considerado culpado” pelo assassinato do brasileiro.

A afirmação foi feita pelo diretor das Comunidades Brasileiras no Exterior do Itamaraty, Manoel Gomes Pereira, durante uma entrevista coletiva oferecida na embaixada brasileira em Londres, na qual o diplomata deu detalhes das reuniões que teve nesta quarta-feira com a Procuradoria britânica e a Comissão independente que investiga a morte de Menezes.

“Achamos que chegamos a uma situação na qual o governo do Brasil merece algumas respostas”, disse Pereira.

Jean Charles, 27, foi assassinado no último dia 22 de julho, na estação de metrô de Stockwell, sul de Londres. O brasileiro foi morto com sete tiros na nuca e um no ombro, disparados pelo polícia britânica, que o confundiu com um terrorista.

Nesta terça-feira, Pereira afirmou não acreditar que a polícia britânica tentou encobrir os erros que levaram à morte do brasileiro. “Neste ponto das investigações nós não temos nenhuma razão para acreditar nisso”, disse.

O embaixador disse também que ficou “perplexo” com as informações divulgadas por uma rede de TV britânica sobre as circunstâncias da morte do brasileiro na semana passada que contradizem o que foi dito anteriormente pela polícia britânica sobre o ocorrido.

Márcio Pereira Pinto Garcia, diretor-adjunto do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional do Ministério da Justiça, e Wagner Gonçalves, subprocurador-geral da República e corregedor-geral do Ministério Público Federal, chegaram a Londres nesta segunda-feira e terão uma série de encontros com autoridades da polícia de Londres com intuito de esclarecer as circunstâncias da morte do brasileiro.

Notícias relacionadas