Declarações são "inaceitáveis", diz Gushiken - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

05/08/2005


Declarações são "inaceitáveis", diz Gush

Ex-ministro da Secretaria de Comunicação de Governo e atual chefe do Núcleo de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Luiz Gushiken rotulou ontem “inaceitáveis” as declarações do deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), segundo as quais ele atuaria, ao lado do ex-ministro José Dirceu, no comando de um suposto esquema de corrupção do governo federal.

A Portugal Telecom negou “discutir ou negociar operações que envolvessem o financiamento de partidos políticos brasileiros”.

Para Gushiken, as declarações de Jefferson durante depoimento à CPI do Mensalão atingiram sua “reputação” e apenas contribuem para gerar um “clima geral de suspeição”.

“O deputado Roberto Jefferson fez declarações que atingem a minha reputação e a minha conduta de homem público. Considero inaceitáveis o teor leviano e o tom de calúnia dessas afirmações”, afirmou em nota distribuída ontem à tarde.

Gushiken perdeu o status de ministro após ter se desgastado com o aumento dos investimentos em publicidade na revista de um cunhado, com a influência nos fundos de pensão e com o fato de a empresa de que foi sócio, a Globalprev, ter tido faturamento maior durante o governo do PT.

Sobre as falas de Jefferson à CPI, Gushiken afirma: “São falsas as insinuações e ilações a respeito do meu papel junto aos fundos de pensão, que obedecem a marcos regulatórios específicos e estão submetidos a amplo leque de instituições de fiscalização e controle”.

Quanto à publicidade, agora sob a Secretaria Geral da Presidência, de Luiz Dulci, disse: “Cada órgão da administração é responsável pela definição dos valores a serem contratados para ações de publicidade e a respectiva gestão desses recursos”.

Notícias relacionadas