Dani Alves brilha, Barça goleia, e Liga deve ter clássico espanhol na semi - WSCOM

menu

Futebol

06/04/2011


Dani Alves brilha e Barça goleia

Liga

Foto: autor desconhecido.

O Barcelona não tomou conhecimento do Shakhtar Donetsk e, jogando no Camp Nou, fez valer seu amplo favoritismo sobre os ucranianos nesta quarta-feira. O time catalão goleou por 5 a 1, em jogo de ida das quartas de final da Liga dos Campeões, e ficou muito perto da classificação. Daniel Alves, que ao lado de Iniesta foi o nome do jogo, fez um dos gols do Barça. O próprio Iniesta, Piqué, Keita e Xavi completaram o marcador para os donos da casa, com Rakitiskiy descontando.

Com o resultado, o Barcelona pode perder o jogo de volta, na próxima terça-feira, até por três gols de diferença que ainda assim se classifica às semifinais. O rival na fase seguinte, por sinal, tem grande chance de ser o Real Madrid, que venceu, terça-feira, o Tottenham por 4 a 0 no Santiago Bernabéu. Se confirmado este confronto, haverá, num intervalo de 20 dias, quatro clássicos entre as equipes (dois pela Liga dos Campeões, um pelo Campeonato Espanhol e outro pela Copa do Rei).

Estiveram em campo, além de Daniel Alves, os brasileiros Adriano (titular) e Maxwell (entrou no segundo tempo), pelo Barça. No Shakhtar, Douglas Costa, Willian, Jadson e Luiz Adriano começaram o jogo. Fernandinho, Alex Teixeira e Eduardo da Silva (naturalizado croata) entraram no decorrer da etapa final.

Shakhtar não fica na retranca

Apesar de jogar fora de casa, o Shakhtar Donetsk não ficou fechado na defesa. O primeiro ataque foi do time ucraniano, com Mkhitaryan, pelo lado direito, mas a bola acabou nas mãos do goleiro Valdés. A resposta do Barça foi imediata. Messi avançou pela esquerda e foi desarmado na entrada da área. A bola, entretanto, sobrou limpa para Iniesta, que bateu na saída de Pyatov e fez 1 a 0.

O gol fez o Camp Nou explodir, mas não diminuiu o ímpeto dos visitantes. Até os 15 minutos, o Shakhtar colecionou chances de gol perdidas. Primeiro, Willian obrigou Valdés a fazer boa defesa, na cara de Valdés. Depois, foi a vez de Luiz Adriano, lançado por Douglas Costa, sair na cara do goleiro e bater para fora. Por fim, Daniel Alves recuou mal uma bola, Valdés saiu do gol no desespero e afastou nos pés de Willian, que emendou de primeira, da intermediária. A bola foi para fora, com perigo.

Apesar da insegurança na defesa, que teve Piqué ao lado do improvisado Busquets (Puyol está com tendinite no joelho e não joga há mais de dois meses), o Barcelona teve em campo, do meio para frente, uma legião de craques. Messi, na base da individualidade, levou a defesa do Shakhtar à loucura. O craque esteve perto de marcar em lance em que deixou três marcadores para trás.

Aos 34 minutos, quando já não sofria tanto com o ataque do Shakhtar, o Barça ampliou. Iniesta lançou com açúcar para Daniel Alves, que entrou livre, na cara de Pyatov. O lateral limpou o goleiro e tocou para o gol vazio. Na comemoração, o camisa 2 se uniu ao também brasileiro Adriano para fazer uma dança.

No segundo tempo, o Shakhtar já não teve o mesmo ímpeto da primeira etapa. Ainda assim, Luiz Adriano ainda teve nova chance, mas se enrolou todo na hora de bater. Por outro lado, o Barcelona nem precisou da genialidade para ampliar. Aos 8, após cobrança de escanteio rasteirinha para a área, Piqué emendou e fez 3 a 0.

O clima no Camp Nou, então, foi de que a parada já estava resolvida. Iniesta, aos 19, retardou uma cobrança de falta e foi punido com cartão amarelo. Por conta disso, o jogador cumpre suspensão no jogo de volta e entra limpo para a provável semifinal. Curiosamente, na cobrança da tal falta, o Shakhtar descontou. Rakitiskiy desviou de canela o cruzamento e mandou para a rede.

Barça se redime rapidamente de bobeada

Um minuto depois, aos 21, o Barça retomou as rédeas. Messi fez grande jogada pela direita e rolou para Keita, que vinha na corrida. O meia soltou uma bomba de canhota, da entrada da área, e acertou o ângulo. Um belo gol.

Daí para frente, o Barça tratou de administrar o tempo, fazer a bola rodar. O técnnico Mircea Lucescu não desisitiu e tratou de mandar a campo Alex Teixeira e Fernandinho, nas vagas de Willian e Jadson. O volume de jogo melhorou ligeiramente, e o Shakhtar ainda esteve muito perto de diminuir, mas Luiz Adriano, que desta vez concluiu bem, carimbou a trave e viu a bola cruzar a boca do gol e não entrar.

O atacante Eduardo ainda entrou no lugar do volante Hübschman, no último suspiro dos visitantes, mas quem voltou a marcar foi o Barcelona. Aos 41, Daniel Alves avançou pela direita, balançou diante da marcação e cruzou rasteiro para Xavi fechar o caixão.

Esta foi apenas a segunda derrota do Shakhtar nesta edição da Liga dos Campeões. Curiosamente, antes o time havia perdido também por 5 a 1, para o Arsenal, durante a fase de grupos.

 

Notícias relacionadas