Couto repudia abandono de Cartaxo a agentes de endemias - WSCOM

menu

Política

29/09/2017


Couto repudia abandono a agentes

Foto: autor desconhecido.

Em discurso na tribuna da Câmara Federal nesta quinta-feira, 28, o deputado Luiz Couto (PT-PB) lamentou o abandono com o qual o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD) vem tratando os agentes de combate a endemias. A categoria procurou o parlamentar para relatar que não consegue dar mais o suporte devido à sociedade paraibana por causa do descaso do gestor municipal.

"Segundo os agentes, há cinco anos, o prefeito de João Pessoa não dá um incentivo e nem aumento aos agentes, deixou de fornecer uniforme, bolsa, protetor solar e materiais necessários ao trabalho. Portanto, não é admissível que a Prefeitura de João Pessoa abandone os agentes de combate às endemias de tal forma. Em vez de incentivá-los pelo excelente trabalho que vem realizando, faz retirar gratificações como a de um valor de R$ 153, 00, garantida já, há anos, pelo ex-prefeito Luciano Agra.
Quero repudiar o descaso com que o prefeito Luciano Cartaxo tem tratado os agentes de combate a endemias. Enviarei um ofício cobrando do prefeito todos os direitos da categoria. É importante também que esses profissionais tenham salários justos, uma vez que estão ganhando menos que outros municípios na Paraíba", disse Couto.

O agente de combate às endemias é um profissional que atua prevenindo e ajudando a combater doenças que podem causar endemias. Eles fazem levantamentos indicando locais com problemas, fazem controle de doenças que estejam surgindo em determinada região e também realizam ações relacionadas à saúde do local em que atuam. São responsáveis pelas vistorias de residências, depósitos, terrenos baldios e estabelecimentos comerciais para buscar focos endêmicos. Inspeção cuidadosa de caixas dágua, calhas e telhados. Aplicação de larvicidas e inseticidas. Orientações quanto à prevenção e tratamento de doenças infecciosas e recenseamento de animais. Essas atividades são fundamentais para prevenir e controlar doenças como dengue, chagas, leishmaniose e malária e fazem parte das atribuições do agente de combate às endemias (ACE), um trabalhador de nível médio que teve suas atividades regulamentadas em 2006, mas que ainda tem muito que conquistar e ser valorizado.