Costa Neto acusa Jefferson de inventar "mensalão" - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

24/08/2005


Costa Neto acusa Jefferson de

O presidente nacional do PL, ex-deputado Valdemar Costa Neto, depõe neste momento no Conselho de Ética da Câmara com o objetivo de garantir a validade do processo movido por ele contra o deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ).

Em seu depoimento, o presidente do PL repete basicamente todas as declarações prestadas ontem na CPI do Mensalão e acusa Jefferson de forjar o “mensalão” para poder escapar das denúncias de corrupção envolvendo sua pessoa.

O depoimento de Costa Neto estava previsto para a manhã de hoje, mas alegando cansaço o ex-deputado pediu para não comparecer e que fossem anexadas aos autos do processo as cópias do seu depoimento prestado na CPI do Mensalão.

A assessoria jurídica da Câmara, no entanto, alertou ao presidente do Conselho, deputado Ricardo Izar (PTB-SP), sobre a necessidade de ouvir o autor do processo sob pena dele perder sua validade. Com base nesta informação, Izar acionou Costa Neto.

O ex-deputado abriu o processo contra o parlamentar fluminense alegando que ele cometeu quebra de decoro parlamentar ao apresentar as denúncias do suposto esquema de pagamento de mesada no Congresso sem apresentar provas dos fatos.

“Não existe mesada. Não existe ‘mensalão’. Isto é uma invenção do Roberto Jefferson para jogar uma cortina de fumaça. O que existe é o dinheiro do caixa dois. Ele recebeu. Eu recebi. Só que o dele é caixa dois e o meu é mensalão?”, questionou Costa Neto.

O presidente do PL aproveitou seu depoimento para também desmentir sua ex-mulher, Maria Cristina Mendes Caldeira que em julho prestou depoimento no Conselho. Segundo ela, Costa Neto recebeu dinheiro de Taiwan para ajudar a campanha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ainda de acordo com Maria Cristina, ela serviu de intérprete do marido nos encontros em Taiwan e Costa Neto ficou com parte do dinheiro destinado ao PT para repassá-lo ao PL.

“Nunca jamais, em tempo algum, Taiwan ajudaria o PT. Ela nunca serviu de intérprete porque eu contratei um intérprete para andar conosco o tempo todo, e as conversas eram em chinês e português”, disse Costa Neto.

Notícias relacionadas