Corpo de Bussunda é enterrado no Rio de Janeiro - WSCOM

menu

Entretenimento

18/06/2006


Corpo de Bussunda é enterrado

O corpo do humorista Cláudio Besserman Vianna, o Bussunda, morto no sábado na Alemanha, foi enterrado na tarde deste domingo no cemitério São João Batista, em Botafogo (zona sul do Rio).

O velório do comediante aconteceu no ginásio Helio Mauricio, no Clube de Regatas do Flamengo, na Gávea (zona sul), e reuniu familiares, colegas do programa “Casseta & Planeta Urgente!” e personalidades.

O corpo chegou no ginásio por volta das 12h. A primeira meia hora do velório foi restrita a parentes e amigos do humorista. Logo depois, perto das 12h30, cerca de 200 fãs puderam entrar no ginásio para ver o corpo do humorista. Os fãs foram cumprimentados pessoalmente pelo casseta Hélio de la Peña.

O enterro, que estava previsto para acontecer às 16h, foi adiantado por conta da expectativa de trânsito pesado após o jogo do Brasil.

Pouco antes do início do velório, os colegas do “Casseta”, incluindo Maria Paula, falaram com os jornalistas. O diretor do programa José Lavigne disse que Bussunda era uma espécie de “ponto de equilíbrio” do grupo.

“O Bussunda era uma espécie de Buda, nosso dalai-lama. Um ponto de equilíbrio [do grupo]”, disse. Lavigne confirmou que o programa da próxima terça (20) será em homenagem ao colega. “Será um programa mais curto, mas terá as cenas preferidas do Bussunda”, disse.

Abalado pela morte, Hubert Aranha não soube afirmar se terá programa na terça-feira da semana seguinte. Helio de la Peña lembrou dos momentos que passou na casa da família do humorista no Leblon. “Comi muito bife de Bussunda”, afirmou.

O casseta Marcelo Madureira falou do trabalho do colega com o grupo. “Bussunda deixa um legado. Aprendemos muito com ele”, afirmou.

Também passou pelo velório a atriz Regina Casé, que trabalhou com Bussunda no “TV Pirata”, do qual o comediante foi roteirista. “Vou lembrar dele sorrindo”.

O casal Luciano Huck e Angélica foi também prestar sua solidariedade para a família. Angélica disse que vai rezar pelas duas famílias do casseta –“a dele [Bussunda] e a família ´Casseta´”, disse.

O ex-jogador Branco, coordenador das divisões de base da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), disse que a morte não deve baixar o astral dos jogadores da seleção. “A seleção não vai ficar abalada. Pelo contrário, [eles] vão dedicar a vitória a ele”, disse. Os jogadores e a comissão técnica da seleção enviaram flores para o velório.

Entre as personalidades que foram à cerimônia, estavam também o deputado Fernando Gabeira (PV-RJ), a coreógrafa Debora Colker, o autor de telenovelas Manoel Carlos.

“Bussunda era um bom amigo, extremamente cordial e nossa relação ficou ainda mais estreita após as paródias às novelas. Não tinha preferência por nenhuma paródia em especial a algum personagem [das telenovelas]. Ele próprio era um personagem formidável”, disse Manoel Carlos.

Leia mais no site da Folha Online