Coronel Lima alega falta de condições 'físicas e psicológicas' para não depor à PF - WSCOM

menu

Política

30/03/2018


Coronel Lima alega falta de condições ‘físicas e psicológicas’ para não depor à PF

 O coronel reformado da Polícia Militar de São Paulo, João Baptista Lima Filho, amigo próximo de Michel Temer e que foi preso nesta quinta-feira (29) no âmbito da Operação Skala, que apura se temer recebeu vantagens indevidas por meio da edição do decreto dos portos, alegou não possuir condições “físicas e psicológicas” para não prestas depoimento à Polícia Federal. Lima deverá continuar preso até a próxima terça-feira. A esposa e sócia de Lima, Maria Rita Fratezi, que foi chamada para prestar depoimento sobre uma reforma feita em um imóvel da filha de Temer, também não respondeu ao interrogatório da Polícia Federal.

Segundo a defesa de Lima, eles deverão marcar uma nova data para o depoimento do coronel em função de seu estado de saúde. “Em decorrência do quadro de saúde e da própria circunstância de estar hoje aqui acautelado, ele não revelou condições psicológicas e físicas de prestar seu depoimento. Portanto, preferiu reservar-se o direito de ficar em silêncio. Nega, veementemente, todas as imputações que lhe são feitas, e assumiu o compromisso de prestar depoimento em data futura a ser agendada com a PF” disse o Cristiano Benzota.

Já a esposa do coronel alegou que detalhes sobre as operações administrativas da empresa somente poderiam ser tratadas com o próprio Lima. A PF suspeita que a reforma do imóvel de Maristela Temer, realizada em 2014 pela arquiteta, tenha sido paga com recursos oriundos de propina.

“A esposa dele (Maria Rita) nega também todas as imputações e ela não tem participação na gestão da empresa PDA. Por essa razão, ela não tem como dar maiores explicações acerca dos fatos”, afirmou o advogado.

Brasil 247

Notícias relacionadas