Corinthians segue líder, mas sem convencer - WSCOM

menu

Mais Esporte

11/08/2005


Corinthians segue líder, mas sem

Líder, mas sem futebol de líder. Desde que chegou à primeira colocação do Campeonato Brasileiro, no dia 3 de agosto, o Corinthians não conseguiu jogar bem. Nesta quarta-feira, em Porto Alegre, o time paulista deu seqüência a esta fase e empatou com o Internacional por 0 a 0.

Esta foi a segunda partida sem vitória da equipe corintiana. Pior, foi também a segunda sem marcar. Dona do setor ofensivo mais eficiente do Brasileiro (39 gols), a equipe dirigida por Márcio Bittencourt não balança as redes adversárias há 181 minutos (o time paulista passou em branco na derrota para o São Caetano, por 2 a 0, no último sábado).

“Pecamos um pouquinho nas finalizações. Conseguimos criar oportunidades para marcar, mesmo com a forte marcação da equipe deles, mas não acertamos na hora de chutar para o gol”, contou o atacante Jô, que foi figura apagada nesta quarta-feira.

Assim, o Corinthians não consegue abrir vantagem para os concorrentes mais próximos. O time do Parque São Jorge segue na liderança do Campeonato Brasileiro, agora com 35 pontos, apenas dois de vantagem sobre Ponte Preta e Cruzeiro.

Se o Corinthians não consegue convencer como líder, o Internacional não convence como anfitrião. O time colorado não consegue triunfar no Beira-Rio há quatro partidas (três derrotas e um empate). Além disso, completa ainda cinco partidas sem vitória. Com 31 pontos, é o oitavo na tabela de classificação.

O próximo compromisso do Internacional acontecerá no sábado. A equipe gaúcha viaja a São Paulo para encarar o Palmeiras, que bateu a Ponte Preta por 2 a 1 nesta quarta-feira. O adversário do Corinthians, no domingo, é justamente a Ponte Preta. O jogo acontecerá em Campinas, às 16h.

O jogo

Apesar de forte marcação individual do volante Edinho sobre o meia Roger, principal figura criativa do Corinthians, o Internacional foi ofensivo desde o início. A equipe gaúcha pressionou a saída de bola dos visitantes e tomou a iniciativa do confronto.

Nos contra-golpes, porém, o Corinthians conseguiu levar mais perigo que o rival. Logo aos 4min, por exemplo, Jô arrancou com a bola pelo lado esquerdo, invadiu a área e chutou cruzado. Vinícius cortou antes de Rosinei conseguir completar para o gol.

No lance seguinte, Roger conduziu a bola pela esquerda e foi travado na hora do arremate. A sobra ficou com o próprio Roger, que arriscou de fora da área. Clemer caiu para o canto direito e praticou a defesa.

Enquanto o Corinthians tentava sair em velocidade nos contra-ataques, o Internacional preferiu arriscar cruzamentos altos para a área, sobretudo com Jorge Wagner e Élder Granja. Com isso, o jogo ficou muito truncado no primeiro tempo.

A situação se tornou ainda mais evidente no período complementar. As duas equipes concentraram as ações no meio-campo, com forte marcação sobre os homens de criação. Assim, os ataques ficaram restritos a cruzamentos altos.

Com isso, a melhor oportunidade do Corinthians aconteceu aos 26min. Gustavo Nery cruzou da esquerda, para o segundo pau. Sozinho na área, Jorge Wagner não conseguiu dominar. A sobra ficou com Bobô, que girou o corpo e chutou de perna direita, à esquerda de Clemer.

O Internacional respondeu com Rafael Sóbis. O camisa 11 recebeu cruzamento da direita de Michel aos 32min e tocou de cabeça, no primeiro pau. Fábio Costa defendeu com os pés e impediu o gol gaúcho.

INTERNACIONAL

Clemer; Vinícius, Wilson e Índio; Élder Granja, Tinga, Edinho, Fernandão e Jorge Wagner; Rafael Sóbis e Iarley (Michel)

Técnico: Muricy Ramalho

CORINTHIANS

Fábio Costa; Edson, Marinho, Betão e Gustavo Nery; Marcelo Mattos, Mascherano (Wendel), Rosinei e Roger (Carlos Alberto); Bobô e Jô

Técnico: Márcio Bittencourt

Local: estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)

Árbitro: Evandro Rogério Roman (PR)

Auxiliares: Aparecido Donizetti Santana e José Amilton Pontarolo (ambos do PR)

Cartões amarelos: Edson (C), Gustavo Nery (C), Edinho (I), Wendel (C), Élder Granja (I)

Gols:

Notícias relacionadas