Contra a Polônia, Ballack quer firmar Alemanha como favorita - WSCOM

menu

Mais Esporte

14/06/2006


Contra a Polônia, Ballack quer

Alemanha e Polônia se enfrentam nesta quarta-feira pela segunda rodada da primeira fase da Copa no WM Stadion, em Dortmund. A partida marca a estréia na Copa do craque do time, o meia Michael Ballack, barrado pelo técnico Jürgen Klinsmann no jogo de abertura por uma lesão na panturrilha.

A volta do meia deixa a anfitriã mais tranqüila já que o jogador tem função essencial como armador e elo de ligação com os atacantes Klose e Podolski. Ballack espera dar novo ânimo à equipe, e certificar quem ainda tem dúvidas da capacidade do elenco. “Vamos nos classificar às oitavas antes do terceiro jogo”, afirmou o capitão em coletiva, apostando em vitória.

Já os poloneses esperam transformar o estádio de Dortmund em seu campo de batalha. Sob pressão total após uma derrota na estréia para o Equador por 2 a 0, a Polônia quer se valer do favoritismo dos donos da casa para levar a melhor.

Os poloneses prometem força máxima para vencer os alemães, o que valeria uma sobrevida no Mundial e um banho de água fria nas críticas da imprensa do país, que tem a seleção do técnico Pawel Janas na mira. Uma derrota virá com gosto de despedida, já que pode encerrar a inexpressiva participação dos poloneses na Copa do Mundo.

A vitória frente aos alemães será um feito inédito para a Polônia em um Mundial. As duas seleções só se enfrentaram três vezes, com um retrospecto de duas vitórias para os atuais anfitriões e um empate. O primeiro confronto, na Copa de 1974, a Alemanha venceu a Polônia por 1 a 0 em Frankfurt. Quatro anos depois, porém, na Copa da Argentina, os países votaram a se enfrentar e a partida terminou sem gols.

No último encontro, em 1996, os poloneses receberam os alemães em casa para um amistoso, mas os torcedores que compareceram ao estádio de Zabrze para prestigiar a seleção viram a Alemanha vencer por 2 a 0.

Dez anos depois, o técnico Janas já afirmou que espera “uma verdadeira batalha” e que tem fé em uma significativa melhora de seu time. Entre as últimas declarações, porém, moderou o tom: “Se conseguirmos ao menos um empate contra os alemães, será comemorado. O empate é o mínimo.”

O mau tempo pode ajudar a Polônia a desestabilizar a partida. Para esta quarta-feira, a previsão é de trovoadas e chuva em Dortmund. Sob um forte temporal, as seleções podem reviver o cenário do primeiro confronto quando, em julho de 1974, as seleções se enfrentaram em um estádio quase inundado.

Para o técnico alemão Jürgen Klinsmann, seus jogadores devem tentar jogar “com uma mentalidade polonesa”. A partir da “agressividade positiva”, como define sua ofensiva formação tática, o treinador espera que o time reduza os erros mas resolva, principalmente, as lacunas da defesa.

Na estréia, a Alemanha deixou a Costa Rica encostar no marcador em 3 a 2, antes de Torsten Frings marcar o quarto e espantar a ameaça nos minutos finais.

Para Jens Lehmann, as tão citadas falhas no setor defensivo não preocupam. Segundo o goleiro, os cinco dias entre as partidas foram suficientes para analisar os erros e corrigi-los. “Sabemos dos problemas que cometemos”, resumiu.

Klinsmann espera um jogo mais difícil, apertado, e teme a superação dos poloneses, alvos de duras críticas após a estréia. “Eles estão à beira do abismo.”

“Eles não mostraram o que sabem. A derrota os deixou à beira da eliminação, e agora eles entrarão em campo com uma faca entre os dentes”, disse o atacante Miroslav Klose.

Contra o Equador, Janas empregou uma nova formação defensiva contra o Equador, com Maciej Zurawski isolado no ataque e Arkadiusz Radomski atuando no meio-campo como homem de apoio extra.

Criticado, Janas foi impassível ao comentar as cobranças da imprensa, que acusa o treinador de engessar a equipe. “Aceito conselhos, mas eu sou o chefe e a decisão final é minha”, afirmou Janas. Contra a Alemanha, Janas deve reposicionar Zurawski e voltar ao esquema 4-4-2, utilizado pelo técnico na campanha vitoriosa da Polônia nas eliminatórias.

O ala Ebi Smolarek, considerado o melhor jogador polonês, se mantém otimista. “Há uma maneira muito fácil de passar da primeira fase: derrotar a Alemanha. Vai ser difícil, mas eles não são invencíveis”, afirmou o jogador.

ALEMANHA X POLÔNIA

Data: 13/06/06

Local: Dortmund (ALE)

Árbitro:Luis Medina Cantalejo (ESP)

Auxiliares:Victoriano Giraldez Carrasco e Pedro Medina Hernandez (ESP)

Alemanha:

Lehmann; Friedrich, Mertesacker, Metzelder e Lahm;Schneider, Frings, Schweinsteiger, Ballack; Klose e Podolski.

Técnico: Jürgen Klinsmann

Polônia:

Boruc; Bak, Jop, Baszcynski, e Zewlakow; Radomski, Sobolewski, Krzynowek e Zurawski, Smolarek e Jelen

Técnico: Pawel Janas