Contaminação de gato 'ainda não preocupa', dizem cientistas - WSCOM

menu

Internacional

01/03/2006


Contaminação de gato 'ainda não

A descoberta que um gato morreu de gripe aviária na Alemanha provocou apreensão, mas cientistas dizem que ainda não há motivos para medo de que o vírus possa passar de um ser humano para outro.

O gato na Alemanha foi o primeiro a morrer do vírus H5N1 na Europa, mas outros dois já tinham morrido da doença na Tailândia, em 2004.

Segundo Paul Hunter, professor de proteção sanitária da Universidade de East Anglia, na Grã-Bretanha, a morte de gatos não surpreende pois, como outros predadores, os felinos caçam animais mais fracos.

“Os gatos tendem a caçar pássaros doentes, então, não é algo inesperado que os gatos matem os pássaros infectados”, disse ele à BBC.

Riscos

O risco de os gatos contraírem a doença, segundo ele, é grande, mas “não é enorme”.

“O vírus H5N1 não pula facilmente de uma espécie para outra e isso se aplica a gatos também”, diz.

A questão que preocupa para humanos e felinos é se o vírus sofrer mutações dentro da população hospedeira e começar a se espalhar de um indivíduo para outro.

Isso ainda não aconteceu, mas se uma versão alterada do H5N1 passar de um gato para outro, isso pode ser uma má notícia para humanos.

Um estudo do virologista holandês Thijs Kuiken diz ser possível a transmissão de um gato para outro gato e pode ser “a oportunidade para que essa gripe aviária se adapte a mamíferos”.

Mas os cientistas estão dizendo que, pelo menos por enquanto, não há motivos para as pessoas entrarem em pânico.

“O pensamento que devemos nos concentrar no momento é que as espécies do vírus existentes parecem ser realmente ineficientes em infectar espécies animais que não são aves”, diz a diretora da Associação Veterinária Britânica, Frieda Scott-Park.

“E na verdade, o vírus já vem circulando em grandes regiões do mundo e não houve um grande número de mortes em animais domésticos.”

Leia mais no site da BBC Brasil

Notícias relacionadas