Conselho de Ética da Câmara cancela depoimento de Costa Neto - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

24/08/2005


Conselho de Ética da Câmara

A pedido do presidente do PL, ex-deputado Valdemar Costa Neto, o Conselho de Ética da Câmara cancelou seu depoimento marcado para esta quarta-feira. Costa Neto alegou cansaço após ter prestado depoimento por mais de nove horas ontem à CPI do Mensalão.

O presidente do PL iria depor no Conselho sobre o processo aberto por ele contra o ex-presidente do PTB, deputado Roberto Jefferson (RJ).

Lula Marques/Folha Imagem

O presidente do PL, Valdemar Costa Neto

De acordo com o presidente do Conselho, deputado Ricardo Izar (PTB-SP), o órgão vai pedir à CPI do Mensalão que encaminhe cópia do depoimento de Costa Neto para que seja analisado pelo relator do processo contra Jefferson, deputado Jairo Carneiro (PFL-BA), e anexado aos autos.

O deputado fluminense tem três processos abertos contra ele pela presidência do PL, que o acusa de quebra de decoro parlamentar e pede a perda de seu mandato em todas as ações.

Na primeira, Jefferson é acusado de quebra de decoro por ter feito as denúncias sobre o “mensalão” sem apresentar provas. O segundo processo, que só será encerrado em setembro, acusa o deputado de ter recebido ilegalmente recursos de campanha. A terceira representação acusa o ex-presidente do PTB de quebra de decoro por ter participação na ocultação de cargas roubadas pela Polícia Rodoviária Federal.

A expectativa é de que Carneiro entregue amanhã seu parecer, que pode ser votado até sexta-feira. Ontem, durante seu depoimento à CPI do Mensalão, Costa Neto afirmou que não existe o chamado esquema do “mensalão”, a suposta mesada paga a parlamentares da base aliada pelo governo. Na opinião do presidente do PL, o esquema foi inventado por Jefferson com o objetivo de trazer à tona o caixa dois do PT.

O presidente do PL acusou Jefferson de tentar chantageá-lo com as denúncias do pagamento de mesada a deputados. “Ele me procurou duas vezes com proposta de acordo. Eu rejeitei. Renunciei para não ceder às chantagens do senhor Roberto Jefferson.”

Notícias relacionadas