Comissão já avaliou um terço do Regimento Interno da CMJP - WSCOM

menu

Política

05/04/2017


Comissão já avaliou 1/3 do Regimento

CMJP

Foto: autor desconhecido.

A Comissão Especial criada para revisar o Regimento Interno da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) se reuniu com a equipe de apoio nesta quarta-feira (5) para tratar dos primeiros resultados do trabalho. De acordo com o vereador Pedro Coutinho (PHS), já foram avaliados quatro, dos 12 títulos que compõem a legislação que disciplina o funcionamento da Casa Napoleão Laureano.

“Estamos com o trabalho bastante avançado”, assegurou o vereador, que é presidente da comissão. “Hoje, discutimos com a equipe de apoio propostas para quatro títulos, que serão encaminhadas para apreciação desta Comissão”, acrescentou o parlamentar. A Comissão Especial, instalada pela Mesa Diretora da Casa em março, tem até julho para concluir os trabalhos.

A reunião contou com a presença do vereador João Corujinha (PSDC), membro da Comissão, e com a equipe de procuradores do legislativo municipal, chefiada pelo procurador Antônio Paulo Rolim, além do procurador-chefe adjunto da Assembleia Legislativa, Washington Aquino. “Washington veio colaborar conosco pela sua experiência na revisão do Regimento Interno da Assembleia Legislativa”, justificou o presidente da Comissão.

Além de Pedro Coutinho e João Corujinha, compõem a titularidade da Comissão Especial os vereadores Bruno Farias (PPS), Helton Renê (PC do B), Sandra Marrocos (PSB), Tibério Limeira (PSB) e Dinho (PMN).

A comissão foi criada em março pela Mesa Diretora da Casa Napoleão Laureano para que o grupo fizesse um mapeamento cuidadoso do RI, a fim de garantir os ajustes necessários para que o Processo Legislativo transcorra de maneira ágil e transparente.

Para o presidente da CMJP, Marcos Vinícius (PSDB), a reforma do Regimento Interno é uma demanda que interessa não apenas aos vereadores e servidores da Casa Napoleão Laureano, mas a própria população, que se beneficia com maior controle social e presteza na votação de matérias de interesse público.

“O Regimento atual possui algumas distorções que atrapalham o pleno funcionamento da Casa, e com o trabalho desta Comissão, poderemos estar mais próximos do que a população espera dos seus representantes”, avaliou Marcos Vinícius.