Comissão italiana acusa ex-URSS por atentado ao papa - WSCOM

menu

Internacional

02/03/2006


Comissão italiana acusa ex-URSS por

Uma comissão parlamentar italiana acusou nesta quinta-feira a antiga União Soviética pela tentativa de assassinato contra o papa João Paulo 2º em 1981.

O presidente da comissão, Paolo Guzzanti, disse que o grupo acredita, sem margem para dúvidas, que as autoridades soviéticas deram ordens ao seu serviço secreto para matá-lo.

A comissão disse que o então papa representava uma ameaça ao bloco soviético por causa de seu apoio ao movimento anti-comunista Solidariedade em sua Polônia nativa.

O presidente da comissão divulgou a versão final do relatório da comissão aos jornalistas.

Provas fotográficas

O turco Mehmet Ali Agca cumpriu 20 anos de prisão na Itália por ter atirado no papa na praça de São Pedro, no Vaticano, em 1981.

Outros três turcos e três búlgaros foram julgados por suposto envolvimento e absolvidos.

Mas a comissão disse que agora tem provas fotográficas de que um deles estava na praça de São Pedro no momento do atentado – o que tinha sido negado anteriormente.

Notícias relacionadas