Começa hoje ação para estudar impacto ambiental sobre retirada da água da Lagoa - WSCOM

menu

Paraíba

26/08/2005


Começa hoje ação para estudar

O secretário do Meio Ambiente da Capital, Antônio Augusto de Almeida, informou ao WSCOM Online nesta sexta-feira 26, que hoje mesmo entrará em contato com a Universidade Federal da Paraíba para – em conjunto com a Prefeitura de João Pessoa – dar inicio ao Estudo de Impacto Ambiental sobre a retirada da água da Lagoa do Parque Solon de Lucena.

A realização da obra foi questionada pela Associação dos Pescadores de Bayeux, alegando que seria um grande volume de água doce que seria introduzida na maré, já que a água retirada da Lagoa seria desviada para o Rio Sanhauá, o que prejudicaria a pesca no rio.

O secretário por sua vez argumentou que o desvio da água seria feito no fim do período chuvoso, o que indica que já há um grande volume de água doce na maré. “Já existe um grande volume de água sendo depositada no rio por conta das últimas chuvas, mas vamos realizar os estudos para constatar se há ou não o risco de prejudicar o meio ambiente”, declarou Augusto.

De acordo com Antônio Augusto, o tempo mínimo para a conclusão do estudo é de um ano, pois teria que se analisar o rio em todas as estações.

Ele descartou que o adiamento da obra prejudicaria o turismo, um vez que a Lagoa foi escolhida como cartão postal da cidade. Segundo ele, uma limpeza parcial foi feita há uns seis meses pela Prefeitura, o que dará condições para a espera de uma limpeza definitiva.


Plano B
– Caso o estudo constate que realmente há risco para o equilíbrio ecológico com a execução da obra, o secretário disse que uma alternativa seria a colocação de draga flutuante. Mas haveria alguns problemas com essa medida. “Primeiro é o custo que é muito alto e segundo a draga flutuante suga a lama e o lixo junto com água que quando colocado no caminhão para retirada sairia sujando a cidade por onde passasse, mas nada que não seja resolvido”.

Notícias relacionadas