Com gol no fim, Suécia elimina Paraguai e se aproxima de vaga - WSCOM

menu

Mais Esporte

15/06/2006


Com gol no fim, Suécia

Com um gol aos 43min do segundo tempo, a Suécia “desemperrou” seu ataque e se aproximou da segunda vaga do grupo B da Copa do Mundo da Alemanha. Ljungberg marcou aos 43min o único gol da vitória por 1 a 0 sobre o Paraguai que ainda eliminou os sul-americanos do Mundial.

Agora , a Suécia define com a atual líder Inglaterra a sua sorte na Copa. No primeiro jogo da rodada, realizado também nesta quinta, os ingleses bateram Trinidad e Tobago por 2 a 0, com gols de Peter Crouch e Steven Gerrard. Com seis pontos ganhos, a equipe do técnico sueco Eriksson já tem vaga na segunda fase assegurada, enquanto os escandinavos precisam de um empate para avançar.

Quem pode gorar os planos suecos é a equipe de Trinidad e Tobago, que tem um ponto ganho, pode ir aos mesmos quatro da Suécia, mas precisa ainda tirar a diferença no saldo de gols aplicando uma goleada no Paraguai, além de torcer para derrota sueca diante dos ingleses.

Os classificados do grupo B enfrentarão Alemanha e Equador, equipes já classificadas para as oitavas pelo grupo A. O Equador, hoje, seria o primeiro do grupo, forçando um confronto entre Alemanha e Inglaterra no mata-mata. Para evitar isso, os anfitriões precisam bater os sul-americanos na última rodada.

Apesar da necessidade de vitória, Suécia e Paraguai apresentaram um futebol burocrático. Em marcha lenta, o Paraguai parecia não fazer questão de surpreender a Suécia e trocava passes despretensiosos no meio-campo ao invés de atacar a rival com intensidade.

Por sua vez, os escandinavos insistiram nas bolas alçadas na área, preterindo a técnica de seu trio ofensivo – Ljungberg, Larsson e Ibrahimovic, que mais uma vez decepcionou, apesar do gol salvador de Ljungberg. O centroavante da Juventus jogou especialmente mal e foi substituído no intervalo.

Na tentativa de melhorar seu rendimento ofensivo, o técnico Lars Lagerback sacou o meia Anders Svensson, titular na estréia, e colocou no time principal o jovem Kim Kallstrom, de 23 anos, para armar as jogadas ao lado de Ljungberg.

Já o Paraguai, além do goleiro Bobadilla que substituiu o contundido e cortado Villar, entrou em campo com o lateral Nuñez, de características mais ofensivas que seu companheiro Toledo.

O jogo

Se as duas equipes prometeram um futebol ofensivo, já que o empate era ruim para ambas, na prática o que se viu foi a Suécia partindo para cima do Paraguai, mas criando poucas chances claras de gol, acirrando a pressão somente no segundo tempo.

Os escandinavos tomaram a iniciativa nos primeiros minutos, e chegaram a assustar os rivais com suas primeiras investidas contra a meta de Bobadilla. Os sul-americanos encontraram nas faltas o melhor recurso para parar a “blitz” sueca.

Aos 9min, a primeira chance: Ibrahimovic ajeitou a bola para o meia Källstrom, que chutou forte de fora da área e exigiu de Bobadilla a melhor defesa do primeiro tempo.

Três minutos depois, nova oportunidade para a Suécia em lance semelhante: Wilhelmsson recebeu na entrada da área e bateu forte, rasante, mas à direita da meta paraguaia.

Aos 13min, o Paraguai tentou sua primeira jogada. Caniza cruzou alto, e Roque Santa Cruz tentou completar de cabeça, mas mandou para fora. Dois minutos depois, Ibrahimovic recebeu enfiada de Ljungberg e tentou cruzar rasteiro para Larsson, mas a zaga cortou antes que o atacante finalizasse.

Então, o jogo reduziu seu andamento para aquele que caracterizaria o restante do primeiro tempo: pouca criatividade, pouca ousadia e jogadas burocráticas das duas partes. A Suécia atacava mais, mas o Paraguai conseguia algum perigo nas suas poucas investidas.

Aos 32min, os sul-americanos tentaram de novo: Santa Cruz aproveitou cruzamento no sgeundo pau e ajeitou de cabeça para Valdez, que bateu forte, mas completamente sem direção. Aos 40min, foi a vez do lateral Nuñez arriscar de longe, mas mandou para fora novamente. E o primeiro tempo ficou nisso.

No segundo tempo, o Paraguai equilibrou o jogo. Aos 5min, Valdez fez bioa jogada individual: limpou Mellberg do lance e bateu forte, de esquerda, mas para fora do gol.

A Suécia respondeu aos 8min. Ljungberg foi para cima da zaga e sofreu falta quase na risca da grande área. Larsson bateu forte, no canto do goleiro Bobadilla, que fez outra boa defesa.

Aos 12min, o bandeirinha prejudicou a Suécia ao marcar impedimento inexistente de Allbäck, que sairia na cara do gol de Bobadilla para marcar. Um minuto depois, a melhor chance do jogo até então: o mesmo Allbäck recebeu livre em velocidade e tocou por cima do goleiro. A bola ia entrando quando Caniza chegou rapidamente e afastou de qualquer maneira.

Então, técnico paraguaio realizaou duas mudanças em sua equipe, colocando Júlio dos Santos e Dante López nos lugares de Riveros e Santa Cruz, mas o panorama voltou a ser o mesmo da maior parte do jogo: Suécia dominando e atacando, Paraguai se defendendo.

Aos 18min, Wilhemsson teve sua última chance: recebeu cruzamento de Edman, mas bateu para fora do gol de Bobadilla. Depois disso, o meia sueco deu lugar a Jonson. A Suécia seguiu comandando as ações, e Larsson perdeu chance em cabeçada aos 23min.

De tanto a Suécia insistir nas jogadas aéreas, uma delas deu certo: Allback ajeitou de cabeça para Ljungberg, que aos 43min do segundo tempo, tocou também de cabeça com consciência no canto de Bobadilla para marcar o gol que eliminou o Paraguai da disputa.

Notícias relacionadas