Com futebol fraco, Internacional vence e respira - WSCOM

menu

Mais Esporte

29/10/2005


Com futebol fraco, Internacional vence

O Internacional ainda sonha. Nesta sexta-feira, na reedição do jogo anulado pelo Superior Tribunal Desportiva, o time gaúcho apresentou desempenho muito fraco, repetiu o resultado e novamente bateu o Coritiba por 3 a 2. Assim, assumiu a segunda colocação do Campeonato Brasileiro e diminuiu para apenas oito pontos a diferença para o líder Corinthians.

JAMES SOFRE CONVULSÃO

O clima no Coritiba ficou tenso na tarde desta sexta-feira, antes da partida com o Internacional. O lateral-direito James sofreu uma crise convulsiva na concentração da equipe em Porto Alegre e precisou ser levado para o hospital, dando um susto no elenco.

O jogador foi internado na capital gaúcha e, segundo informações da assessoria de imprensa do clube paranaense, passa bem. Neste sábado, ele retorna para Curitiba, onde continuará recebendo cuidados médicos.

Confirmado pelo interino Cláudio Marques para enfrentar o Internacional, James acabou substituído por Rodrigo Batatinha. O lateral também já está vetado para a próxima rodada, no duelo com o Flamengo, segunda-feira, no Rio de Janeiro.

“O campeonato ainda não acabou. Agora, não existe ninguém entre a nossa equipe e o Corinthians. Temos uma motivação ainda maior para vencer nossas partidas e, se eles tropeçarem, vamos complicar a vida deles. Nossa arrancada para o título começou hoje [sexta-feira]”, avisou o colombiano Rentería, autor de dois gols.

Com a vitória sobre o Coritiba, o Internacional chega a 62 pontos e salta da terceira para a segunda colocação do Campeonato Brasileiro. O Goiás, que tem 60, faz o caminho inverso e agora ocupa o terceiro posto. O líder Corinthians tem 70 pontos.

Para chegar ao título do Campeonato Brasileiro, o Internacional tem oito rodadas para descontar oito pontos de desvantagem em relação ao Corinthians. Apesar da distância, o time gaúcho ainda acredita. “Temos condições, sim. Nós não desistimos e vamos brigar até o final”, prometeu o meia Márcio Mossoró.

Enquanto o Internacional sonha, o Coritiba só tem motivos para lamentar. O time paranaense sofreu nesta sexta-feira a sétima derrota consecutiva no Campeonato Brasileiro. Com isso, permanece com 38 pontos, a apenas dois da zona de rebaixamento para a Série B, e mantém a 17ª colocação.

“Está faltando um pouco de sorte para a nossa equipe. Não fizemos uma má partida contra o Internacional, mas eles marcaram dois gols em lances confusos e conseguiram o placar favorável. Precisamos mudar nossa maré”, comentou o zagueiro Anderson, capitão da equipe paranaense.

Para tentar “mudar a maré”, o Coritiba anunciou nesta sexta-feira a contratação do treinador Márcio Araújo. Ele substituirá o interino Cláudio Marques, que comandou a equipe diante do Internacional, e já assistiu à partida, nesta sexta, nas tribunas do Beira-Rio. “Espero que ele consiga fazer esse grupo render tudo o que pode”, imaginou Anderson.

As duas equipes voltarão a campo apenas na próxima segunda-feira, às 20h30. O Internacional receberá o Paysandu no Beira-Rio. Enquanto isso, o Coritiba jogará fora de casa contra o Flamengo.

O jogo

O Internacional ainda briga pelo título do Campeonato Brasileiro. O Coritiba entrou em campo disposto a se afastar da zona de rebaixamento para a Série B. Entretanto, o início do confronto não justificou a necessidade de vitória das duas equipes.

CORITIBA: SÉRIE NEGATIVA

Data Adversário Placar

1/10 Paraná 2 x 3

4/10 Goiás 0 x 2

11/10 Paysandu 1 x 2

15/10 Atlético-PR 1 x 2

22/10 Botafogo 0 x 2

25/10 Cruzeiro 0 x 3

28/10 Internacional 2 x 3

“O Coritiba veio fechado demais e marcando em cima. Ficou muito complicado para a nossa equipe tocar a bola. Acabamos ficando sem alternativa ofensiva”, lamentou o centroavante Fernandão.

Na primeira vez em que foi incisivo, o Internacional marcou. Ricardinho arrancou com a bola aos 35min, em velocidade, e foi derrubado dentro da área por Douglas Peruíbe. A cobrança da penalidade coube a Fernandão, que colocou no canto direito do goleiro Douglas e inaugurou o placar.

“O nosso principal mérito foi a tranqüilidade. Soubemos tocar a bola com calma e, quando todo mundo achou que estávamos mortos, acertamos uma jogada rápida e chegamos ao gol”, lembrou o autor do gol da equipe gaúcha.

Se a vantagem de um gol já parecia demais pelo que o Internacional havia produzido, a situação se tornou ainda mais confortável aos 40min. Rentería recebeu na esquerda, carregou para o meio e arriscou de fora da área. A bola desviou em um zagueiro e enganou o goleiro Douglas, que havia caído para seu canto direito.

Atrás no marcador, o Coritiba voltou para a etapa final disposto a acabar com o marasmo do primeiro tempo. “Precisamos mudar nossa postura. A marcação está muito atrás e o Internacional tem muito espaço para jogar”, criticou Jackson no intervalo.

O time paranaense ouviu as críticas de Jackson e pressionou a saída de bola do Internacional. Com isso, foi premiado e diminuiu aos 10min. Maia aproveitou cruzamento da direita e apareceu livre, no segundo pau, para completar de cabeça.

O gol animou o Coritiba, que seguiu melhor em campo. O Internacional, assim como no primeiro tempo, mostrou postura totalmente desanimada. Com isso, o time paranaense conquistou o empate aos 31min. Caio fez linda jogada individual pela direita e rolou no meio para o ala Ricardinho, que dominou e arriscou de fora da área. A bola desviou na defesa e encobriu o goleiro Clemer, que estava adiantado.

Apesar de jogar pior, o Internacional conseguiu a vitória em um lance confuso. Márcio Mossoró lançou na direita para Wellington aos 42min, e o meia cruzou de primeira. Ricardinho dividiu no alto com o goleiro Douglas e a bola sobrou para Rentería, que chutou de primeira para salvar a noite e manter a esperança dos gaúchos.

INTERNACIONAL

Clemer; Elder Granja; Edinho, Ediglê e Jorge Wagner; Gavilán, Perdigão (Gustavo), Tinga (Wellington) e Ricardinho; Rentería e Fernandão (Márcio Mossoró)

Técnico: Muricy Ramalho

CORITIBA

Douglas; Wagner, Anderson e Allan (Marcelo Peabirú); Rodrigo Batatinha (Márcio Egídio), Douglas Peruíbe, Jackson, Caio e Ricardinho; Renaldo (Souza) e Maia

Técnico: Cláudio Marques

Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)

Árbitro: Clever Assunção Gonçalves (MG)

Auxiliares: Marco Antônio Martins e Edgard Sales Abreu (ambos de MG)

Cartões amarelos: Allan (C), Maia (C), Élder Granja (I), Rodrigo Batatinha (C), Márcio Mossoró (I), Perdigão (I), Ediglê (I), Caio (C), Rentería (I)

Gols: Fernandão, aos 35min, Rentería, aos 40min do primeiro tempo; Maia, aos 10min, Ricardinho, aos 31min, Rentería, aos 42min do segundo tempo

Notícias relacionadas