Com dois gols de brasileiro, Schalke goleia e joga Inter de Milão no buraco - WSCOM

menu

Futebol

05/04/2011


Schalke goleia e joga Inter no buraco

Liga

Foto: autor desconhecido.

Os torcedores do Inter de Milão muito provavelmente já se esqueceram da pesada derrota no clássico de sábado, por 3 a 0, para o Milan, pelo Campeonato Italiano. Mas de uma maneira nada agradável. Por ora, o desespero está por conta da possível eliminação na principal competição do continente. Avassalador, o Schalke 04 aproveitou novas falhas da defesa italiana e atropelou os atuais campeões por incríveis 5 a 2, nesta terça-feira, em pleno estádio Giuseppe Meazza, pelo jogo de ida das quartas de final da Liga dos Campeões.

O maior destaque dos alemães foi o brasileiro Edu, ex-Guarani, que marcou dois gols. Matip, Raúl e Ranocchia, contra, completaram para os visitantes. Stankovic, com um golaço do meio-campo, e Diego Milito fizeram para os donos da casa. No lado adversário, os brasileiros Julio César, Maicon e Thiago Motta, naturalizado italiano, foram titulares. Lúcio, suspenso, foi desfalque. Philippe Coutinho não foi relacionado.

O duelo de volta está marcado para a próxima semana. Na quarta-feira, dia 14, o Schalke recebe o Internazionale em Gelsenkirchen com a vantagem de poder perder por 3 a 0 ou até 4 a 1. A repetição do placar a favor dos italianos leva o jogo para a prorrogação. Vitórias por 6 a 3 em diante classificam Eto’o, Sneijder & Cia para a semifinal.
As quartas de final terão sequência nesta quarta-feira. Às 15h45 (de Brasília), Barcelona e Shakhtar duelam no Camp Nou.

O futebol é capaz de proporcionar coincidências daquelas que se faz parar para pensar. No sábado, um gol aos 43 segundos mudou toda a estrutura tática e emocional do Inter de Milão, que acabou derrotado por 3 a 0 para o Milan no clássico.
Nesta terça, a vantagem instantânea veio a favor com um golaço que poderia valer dois. Logo aos 26 segundos, Cambiasso lançou para Milito e obrigou Neuer a se antecipar e cortar de cabeça. Stankovic, do meio-campo, emendou de primeira. Obra-prima.

A superioridade, no entanto, não causou maiores estragos ao Schalke, que respondeu aos quatro, em cabeçada perigosa de Raúl. Com facilidade para penetrar na defesa adversária, os alemães chegaram ao empate aos 15. Após cruzamento, Papadopoulou cabeceou, Julio César defendeu e, no rebote, Matip completou no meio da confusão.

Ofensivamente, o Inter de Milão seguia com boas opções, mas cedia espaços que o Schalke passou a aproveitar. Para piorar, Stankovic sentiu lesão depois de uma dividida e saiu para a entrada de um apagado Kharja. O jogo passou, então, a ficar concentrado nas duas áreas. Foram ao menos três boas chances para cada time até o fim do primeiro tempo. Saíram gols em duas delas.

Aos 33, em boa trama de Zanetti, Sneijder e Cambiasso, Diego Milito completou livre na grande área após passe na medida do volante argentino com a cabeça. Sete minutos depois foi a vez de o brasileiro Edu novamente igualar em contra-ataque. O atacante chutou, a bola desviou em Chivu e Julio César se esticou para defender. Na sobra, o próprio Edu emendou para as redes.

No prejuízo, os italianos voltaram do intervalo com pressa. Com pouco mais de um minuto, Milito foi lançado do campo defensivo, mas concluiu para fora, sozinho na grande área. No lance seguinte, Eto’o cortou a marcação em lindo lance e, de canhota, chutou no alto. Neuer fez grande defesa.

Sem Lúcio, defesa do Inter vira presa fácil

Mas o ditado diz que a mesma pressa é inimiga da perfeição. Ou, no caso do Internazionale, muito próxima do erro, de uma falha que poderia àquele momento custar muita dor de cabeça até o jogo de volta, na próxima semana. Aos 8, em um vacilo da zaga, Raúl recebeu de Farfán livre na grande área. O experiente atacante se livrou de Chivu e Ranocchia e tocou na saída de Julio César para marcar seu 70º gol somente Liga dos Campeões em 139 partidas.
Não houve nem tempo para os italianos lamentarem. Aos 11, o Schalke aprontou com Jurado, que disparou pela direita e cruzou rasteiro. Ranocchia, que vinha na corrida, acabou completando contra o próprio patrimônio: 4 a 2.

Completamente abatida, a equipe do brasileiro Leonardo teve a oportunidade de diminuir aos 13. Com espaço na grande área, Eto’o perdeu um gol daqueles que não perde. Chute cruzado, de canhota, para fora.

Assim como no clássico, Chivu ainda tornou-se o maior vilão ao conseguir ser expulso, aos 16. O romeno, que atuava na zaga no lugar do brasileiro Lucio, recebeu o segundo amarelo e o vermelho após falta em Edu. Caminho aberto para o Schalke atropelar.

Virtual classificado, os alemães não encontravam a menor resistência e foram para o ataque. Aos 19, Jurado pegou sobra da entrada da área e acertou a trave direita de Julio César. Os azuis reais precisaram de mais dez minutos para mexer no placar. Farfán recebeu na grande área, se atrapalhou com a saída de Julio César e acertou a trave. Na sequência, Edu aproveitou a bola solta na entrada da área e encaixou bela finalização à esquerda do goleiro brasileiro.

Atônito, Leonardo via o massacre adversário perplexo. A fúria da torcida do Milan, a goleada sofrida no clássico e a possível eliminação na principal competição do continente transformaram os últimos quatro dias em um pesadelo.

Notícias relacionadas