Cleo: "a sensualidade não me define" - WSCOM

menu

Entretenimento

25/08/2018


Cleo: “a sensualidade não me define”

Foto: autor desconhecido.

Cleo dispensa apresentações. Cada dia mais estabelecida nas áreas em que escolheu para a vida profissional, como a atuação, o meio musical e até como influencer na web, a artista vive um dos seus melhores momentos. Porta-voz do empoderamento feminino, ela mostra na prática, literalmente, as dificuldades de ser tão bem resolvida em um mundo ainda tão machista.

Em papo exclusivo com a Vogue, Cleo fala sobre sororidade: “a reprodução do machismo feita por mulheres, principalmente, é muito triste. Acho que o melhor a dizer é: se libertem dessas amarras. O machismo não beneficia ninguém”, diz. “Entendo que é uma questão de tempo: as pessoas vão aprendendo no momento certo, a atitude de competitividade feminina está muito enraizada em nós, é cultural, portanto, muito difícil de se libertar. Mas não é impossível! Saber respeitar a opinião e o modo de viver do outro, já é um grande passo”, conclui.

No ar como a vilã Betina na novela O Tempo não Para, ela fala sobre semelhanças e diferenças de personalidade com a personagem, conta da sua relação com o próprio corpo e rotina de beleza. A atriz também entrega o que faz quando ninguém está vendo, os seus talentos secretos e, contra rótulos, dispara: “a sensualidade não me define. O ser humano é múltiplo. Tenho várias outras características que compõem quem eu sou, a sensualidade é só uma delas”. Abaixo, tudo isso e muito mais:

Na nova novela das 19h da Rede Globo, O Tempo Não Para, você interpreta uma vilã, a Betina. Na vida real, você se vê como vilã?
Betina é daquelas personagens que faz de tudo para conseguir o que quer, ela não se importa de deixar seus valores de lado para isso. E, neste sentido, não me vejo como vilã. Por quê veria?

Cleo (Foto: divulgação/ Liebe Lingerie)

Quais características você tem em comum com Betina?
Ela é uma mulher muito para a frente, determinada e moderna. Me identifico com ela neste sentido. Mas nossas semelhanças se param por aí. Diferente da Betina, não passaria por cima dos meus valores e de coisas importantes para conseguir o que quero. Aliás, a Betina promete agitar a novela, tem sido uma delícia interpretá-la.

Muita gente te julga sem te conhecer. Conta três coisas sobre você que ninguém sabe, mas que, de alguma forma, poderia mudar a visão delas?
Hummm… tem várias coisas que as pessoas não sabem ao meu respeito (risos). Não sei se mudaria a visão delas, porque, no final do dia, as pessoas realmente só enxergam o que querem, e isso também não é algo que me faça sofrer. Mas adoro estudar astrologia e o cosmo, é incrível entender como tudo isso está relacionado ao comportamento humano; amo ensinar truques de make para as pessoas; e adoro coisas nerds.

No Twitter, você respondeu com bom humor a uma fã que disse que queria apertar o seu bumbum: “está mole e caído. Não é o momento”, disse. Como é a sua relação com o espelho atualmente – física e mental? Te incomoda estar “mole e caída”?
Tenho uma troca muito bacana com os seguidores. Sempre que posso, respondo, e essa foi uma das muitas brincadeiras que faço ali. Sou como qualquer outra pessoa, há momentos em que me sinto muito bem com o meu corpo e outros que não, é natural. Mas, respondendo à sua pergunta, no geral, a minha relação com o espelho é ótima, sou muito tranquila em relação a isso. As pessoas idealizam o corpo do artista, principalmente das mulheres em geral, como se o biótipo sarado e durinho fosse universal e o ideal. Não é, e, para mim, o importante é estar bem comigo mesma, saudável e em boa forma – o que vai muito além do corpo.
Pretende fazer dieta e se jogar nos treinos para mudar isso, ou está satisfeita consigo mesma?
Estou satisfeita comigo mesma. Na verdade, tenho uma alimentação equilibrada e pratico exercícios físicos durante a semana. A boa forma vai além do físico, é uma relação do corpo e da mente.

Quais atividades físicas você gosta de fazer?
Faço faço aula de corpo e yoga duas vezes na semana com a Patrícia Passos e isso tem sido muito prazeroso. É algo mais personalizado e que funciona para mim.

Cleo (Foto: divulgação/ Liebe Lingerie)

Segue uma rotina de beleza e cuidados estéticos?
Não tenho uma rotina definida, mas uso algumas máscaras para a pele em casa e faço um acompanhamento com a Roseli Siqueira, cosmetóloga. Mas, no geral, não tenho neuras com isso, sou muito tranquila.

Você sempre foi uma pessoa transparente, sem papas na língua e, consequentemente, seus post e entrevistas, de alguma forma, sempre acabam rendendo algum tipo de polêmica. Isso te cansa? Como lida com as críticas?
Tudo o que eu falo é porque quero falar, porque me sinto bem para isso. Mas me incomoda e cansa um pouco quando, de um papo tão bacana, surgem perguntas e temas tão batidos e que nada têm a ver com o momento. Mas, hoje, procuro não ver muito as críticas que não constroem, procuro me cercar de energias positivas e críticas construtivas, que vão me ajudar a chegar aonde eu quero.
Muitas vezes, você é criticada por mulheres. Em tempos de sororidade, o que diria para elas sobre esse comportamento inadequado aos dias de hoje?
A reprodução do machismo feita por mulheres é muito triste. Acho que o melhor a dizer é: se libertem dessas amarras. O machismo não beneficia ninguém. Mas entendo que é uma questão de tempo: as pessoas vão aprendendo no momento certo, a atitude de competitividade feminina está muito enraizada em nós, é cultural, portanto, é muito difícil se libertar. Mas não é impossível! Saber respeitar a opinião e o modo de viver do outro, já é um grande passo.

Conta pra gente uma situação em que você se sentiu oprimida como mulher e te marcou?
A opressão está na forma como querem que a gente se comporte, como querem que a gente se expresse… E isso faz parte da educação patriarcal com a qual fomos criadas, e precisa acabar. Precisamos nos libertar e nos expressar como quisermos sem sermos julgadas/oprimidas por isso.

Existe alguma característica física que considera muito sexy (em você ou nos outros) e que a maioria das pessoas acha broxante?
Eu acho cicatriz uma coisa super sexy.

Cleo (Foto: divulgação/ Liebe Lingerie)

Acha que a sensualidade te define?
Não. O ser humano é múltiplo. O trabalho que fiz com a Alice Caymmifala exatamente sobre isso, sobre o arquétipo feminino da sedução ser usado e visto como único recurso. Eu tenho várias outras características que compõem quem eu sou, a sensualidade é só uma delas.

Para você, existe um limite entre privacidade e exposição?
Com certeza. Tudo aquilo que eu não quero expor, seja envolvendo a minha família, os meus amigos ou relacionamentos, é privado. As pessoas têm que respeitar isso. Não somente a minha profissão possui uma exposição, mas eu também gosto de me expor. Agora o que eu gosto de expor é uma coisa, o que as pessoas acham que eu devo expor é um problema delas.

O que faz quando ninguém está vendo? Nos dias em que fica sozinha em casa?
Eu assisto muita série, jogo videogame com os amigos, me reúno com a minha família. No final das contas, sou uma pessoa normal.
O que faz quando sente que precisa desacelerar?
Eu percebi que viajar me relaxa muito! Ultimamente, a cada brecha de gravação e agenda pessoal que tenho, vou com amigos para um destino, para relaxar mesmo. Notei que, quando volto, fico muito mais disposta e trabalho com mais energia.

Quem são as tuas musas inspiradoras no meio musical?
Nossa… eu tenho várias! Adoro a Marina Lima, no meu show até cantei uma música dela, também gosto muito de Alanis MorissetteBeyoncéKarol ConkáValesca Popozuda e várias outras mulheres.

Cleo (Foto: divulgação/ Liebe Lingerie)

E no quesito fashion?
Eu adoro a Xuxa dos anos 1980 e 1990, CherKourtney Kardashian(gosto da Kim também, mas prefiro a irmã), RihannaJohnny DeppKanye West… São alguns que curto bastante o estilo.

Tem ajuda de algum stylist?
Sim, tenho a ajuda do Jorge Grimberg, que virou o meu diretor de imagem, na verdade. Eu tenho as ideias e o Joca desenvolve, é uma parceria. Assinamos juntos os figurinos dos shows, clipes, eventos…. Nós temos uma sintonia muito boa. Nós dois gostamos de criar.

Como define seu estilo?
O meu estilo é muito eclético, vai do meu humor. Às vezes quero vestir algo mais ousado, outras vezes priorizo o conforto. Gosto de criar no look junto com o Joca, ele embarca nas ideias, tem dado muito certo!
Como é a sua relação com a moda no guarda-roupas da vida real, o de palco e o de eventos?
O meu guarda-roupa da vida é também o de palcos e eventos, mas em versões diferentes – às vezes com mais glamour, recortes e aplicações. Tenho usado mais preto, branco, o nude no meu tom de pele e jeans, sempre misturando com esportivo, couro…. Adoro moda, há muita liberdade de expressão nela.

Cleo (Foto: divulgação/ Liebe Lingerie)
Vogue