Classificado, Brasil pega o Japão e conhecerá adversário das oitavas - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

22/06/2006


Classificado, Brasil pega o Japão

Os italianos pegam os checos nesta quinta-feira precisando somente de um empate para chegar às oitavas-de-final. A República Checa precisa vencer. Gana e Estados Unidos se enfrentam sonhando com uma das vagas. Os africanos têm a situação mais tranqüila, mas americanos também acreditam na classificação. Um grande mistério ronda o duelo entre Brasil e Japão. Parreira só vai anunciar escalação da seleção no estádio em Dortmund. E na última partida do dia, a lealdade será colocada à prova na partida entre Austrália e Croácia.

A Itália, que precisa de um ponto para garantir sua vaga na segunda fase da Copa do Mundo, vai enfrentar adversários familiares na partida contra a República Checa, nesta quinta-feira, às 11h, em Hamburgo, pelo Grupo E.

O ex-jogador do ano Pavel Nedved venceu três títulos com Juventus e Lazio, enquanto seu companheiro de seleção Marek Jankulovski atuou em seis temporadas do Campeonato Italiano pelo Milan e pela Udinese, informa a Agência Reuters

A dupla é importante no contra-ataque do time tcheco, com as disparadas do meio-campo e os chutes longos de Nedved temidos pelo capitão italiano Fabio Cannavaro.

“Pavel é um jogador desagradável de se enfrentar”, disse Cannavaro, que joga ao lado de Nedved na Juventus. “Ele tem grande presença de espírito, é um exemplo para os colegas, tem uma verdadeira força interior e joga com paixão. É um profissional autêntico e um jogador a ser temido”, disse Cannavaro aos repórteres.

O atacante checo Jan Koller, de 2,01 m de altura, está contundido, e seu substituto Vratislav Lokvenc está suspenso. Mas os tchecos receberam um incentivo com a notícia de que Milan Baros pode estar recuperado para o jogo desta quinta.

Os problemas da seleção italiana são mais no meio-campo. Daniele De Rossi está suspenso com o cartão vermelho que recebeu no empate em 1 x 1 com os EUA, e Simone Perrotta luta com uma contusão na perna.

Lippi pode adiantar o zagueiro Gianluca Zambrotta no meio-campo, mas precisa esperar pelos testes com o atacante Alberto Gilardino, que machucou o tornozelo.

Gana x Estados Unidos

A principal tarefa do técnico de Gana Ratomir Dujkovic, antes da última partida do Grupo E contra os EUA, às 11h desta quinta-feira, será acabar com o sonho dos jogadores de um possível encontro com o Brasil na segunda fase.

Ao invés disso, ele quer que seu time se concentre no confronto decisivo contra os norte-americanos, ambos com chances de chegar às oitavas-de-final, informa a Agência Reuters.

Gana, que se recuperou de uma derrota por 2 x 0 para a Itália em sua partida de estréia e bateu a República Tcheca pelo mesmo placar, falou sobre a perspectiva de jogar contra os pentacampeões na próxima fase.

“Não estamos com medo de jogar com o Brasil“, disse o meio-campo Michael Essien. “Mas primeiro temos que lidar com os EUA, depois vamos ver quem será nosso próximo adversário.“

O grupo está embaralhado e todos os quatro times têm chances de progredir.

Gana, com três pontos, e os EUA, com um, precisam vencer para tentar superar Itália e a República Tcheca, que são primeiro e segundo do grupo com quatro e três pontos respectivamente.

Brasil x Japão

O treinador Carlos Alberto Parreira vai guardar para os últimos minutos o que todos querem saber desde domingo passado: a escalação da Seleção para a partida desta quinta-feira, às 16h (de Brasília), contra o Japão, no Westfalenstadion, em Dortmund.

Os brasileiros já estão qualificados às oitavas-de-final do torneio e garantem o primeiro lugar do grupo F com um simples empate. Os japoneses só avançam se vencerem por boa margem de gols e torcem ainda por derrota ou empate da Austrália diante da Croácia, na mesma hora, em Stuttgart.

Parreira não revelou se a equipe será a mesma que começou atuando nas duas partidas até aqui na Copa, contra Croácia (1 x 0) e Austrália (2 x 0) ou se terá a entrada de reservas importantes como o meia Juninho Pernambucano e o atacante Robinho.

“Já decidi, mas só anuncio amanhã (quinta-feira). Não tenho pressa, nem necessidade de revelar a equipe. Tenho algumas variantes. Eu gosto sempre que os jogadores durmam sabendo quem joga, mas desta vez será diferente“, disse Parreira, que pouco depois afirmou, no entanto, que a decisão será da comissão técnica, sem ser levada em conta a vontade dos atletas em atuar.

Do lado japonês, a partida será especial para dois brasileiros: o treinador Zico e o lateral-esquerdo Alex Santos. O Galinho será o quarto técnico do país a enfrentar a Seleção em uma Copa do Mundo. Apesar da dificuldade em conseguir uma vaga nas oitavas, ele segue esperançoso.

“Não enfrentaremos um monstro horrível. É um time muito forte, mas nós somos profissionais e estamos aqui para representar o Japão. Enquanto houver uma mínima esperança, não devemos baixar a guarda“, comentou Zico, que pode se despedir do comando do time nesta quinta. Ele já anunciou que após a Copa tentará treinar um clube na Europa.

Croácia x Austrália

Lealdades à nação serão colocadas em teste na partida entre Austrália e Croácia, quinta-feira, às 16h, pelo grupo F da Copa do Mundo. Isto porque o resultado pode causar emoções amargas para alguns jogadores, que mesmo sendo rivais, reconhecem as ligações ancestrais entre os dois países.

Sete membros da equipe australiana, o capitão Mark Viduka, Jason Culina, Tony Popovic, Josip Skoko, Ante Covic, Zeljko Kalac e Marco Bresciano, são nascidos na Austrália, mas têm raízes croatas.

Três dos jogadores croatas, Josip Simunic, Joe Didulica e Anthony Seric, nasceram e foram criados na Austrália, mas escolheram jogar na terra onde seus pais nasceram. AFP

“Será um jogo muito emocionante para muitos”, disse o assistente técnico da Austrália Graham Arnold. “Há muitos filhos de pais croatas morando na Austrália e, se não estivessem jogando contra, estariam torcendo pela Austrália. Muitos torcedores vão ficar felizes qualquer que seja o resultado”, acrescentou, segundo informa a Agência Reuters.

Austrália e Croácia ainda têm chance de passar para a segunda fase, ao lado do Brasil, que já se classificou e tem seis pontos. Os australianos têm três pontos, enquanto croatas e japoneses têm um ponto cada.

Há pelo menos 52 mil croatas residentes na Austrália, embora o número real pode ser considerado muito maior porque não inclui as pessoas nascidas na ex-Iugoslávia.

Notícias relacionadas