Cinema , aspirinas e urubus tem pré estréia em João Pessoa - WSCOM

menu

Entretenimento

02/03/2006


Cinema , aspirinas e urubus

O premiado filme Cinema , aspirinas e urubus tem pré estréia hoje em João Pessoa no Mag Shopping, às 20h30, Sala 5, contando com a presença do Diretor Marcelo Gomes.

O filme retrata o ano de 1942 em pleno sertão nordestino, onde dois homens se encontram : Johann, um alemão que fugiu da guerra, e Ranulpho, um brasileiro que quer escapar da seca que assola a região. Viajando de povoado em povoado, eles exibem filmes para pessoas que jamais haviam conhecido o cinema, para vender um remédio “milagroso”. Continuando a cruzar as estradas empoeiradas de um sertão arcaico, eles buscam novos horizontes em suas vidas. Nesta jornada, os dois aprendem a respeitar as diferenças e surge entre eles uma amizade incomum, mas que marcará suas vidas para sempre.

o diretor – Seu primeiro contato com o cinema foi através do cineclube que ele criou em Recife. Em seguida, em 1991, recebeu uma bolsa para estudar cinema na Universidade de Bristol, Inglaterra. Esta experiência, além de profissionalmente decisiva para Gomes, contribuiu para sua formação cinematográfica.

Após dois anos de estudos, voltou ao Brasil e fundou a produtora Parabólica Brasil, onde realizou curtas e vídeos em parceria com Adelina Pontual e Cláudio Assis. Seu primeiro roteiro para o cinema, o curta Maracatu, Maracatus, foi premiado em vários festivais, entre eles, Melhor Curta no Festival de Brasília. Em seguida, filmou Clandestina Felicidade, também premiado como Melhor Curta segundo a crítica do Festival de Gramado. Além disso, Gomes dirigiu diversos documentários para a TV.

Enquanto desenvolvia o longa-metragem, Gomes colaborou para o roteiro de Madame Satã, de Karim Ainouz, e dirigiu, também em parceria com Ainouz, a vídeo-instalação Ah, Se tudo fosse sempre assim, para a 26a. Bienal de São Paulo, em 2004. Atualmente, Gomes desenvolve o roteiro de Deserto Feliz, de Paulo Caldas.

crítica no New York Times – O longa-metragem de estréia do diretor Marcelo Gomes tem feito bonito nos festivais brasileiros por onde passa e aclamado pela crítica especializada, inclusive ganhando um espaço consideravel no Jornal Americano The New York Times no último dia (9) de fevereiro .

Mas o reconhecimento internacional não para por ai , o longa ganhou sessões em festivais como Los Angeles, Sarajevo, San Sebastian e Hamburgo, além de levar o prêmio da Educação Nacional, concedido pelo Ministério da Educação da França, no Festival de Cannes do ano passado.

Clique aqui para ler a crítica do New York Times

Notícias relacionadas