China faz ultimato a Paulinho após anúncio com atriz pornô - WSCOM

menu

Mais Esporte

16/04/2017


China ultima Paulinho após anúncio

POLÊMICA

Foto: autor desconhecido.

 Autoridades chinesas pediram ao volante Paulinho para encerrar seus contratos com companhias de apostas do exterior para continuar jogando no país, informou a agência “Reuters”. Um comunicado foi emitido neste domingo, isentando o Guangzhou e responsabilizando o jogador por ter gravado o anúncio de um site de apostas ao lado de uma atriz pornô japonesa – ambas as atividades são proibidas na China.

 – Após a investigação, chegou-se à conclusão de que foi uma decisão do próprio jogador e que o clube não foi reportado. O Guangzhou Evergrande criticou Paulinho e pediu-lhe para encerrar as atividades comerciais com a empresa de apostas imediatamente, a fim de encerrar quaisquer atividades semelhantes no futuro – disse o comunicado.

 Após a repercussão do caso na imprensa internacional, a assessoria do ex-jogador do Corinthians enviou uma nota oficial afirmando que o atleta não sabia quem era a mulher nas gravações, que as imagens só poderiam ser divulgadas após sua autorização, que o contrato com a empresa das Filipinas será rescindido por causa da confusão com o seu nome e que não há chances de Paulinho ser deportado (leia na íntegra).

 Segundo o jornal inglês "Mirror", o volante posou em casa para as fotos com a atriz pornô japonesa Tsukasa Aoi em comercial do site de apostas Letou. Como a pornografia e o jogo são proibidos na China, o diário afirmou que o brasileiro poderia até ser deportado por causa das imagens. Porém, Paulinho afirma que as imagens foram feitas em novembro do ano passado e que só poderiam ser usadas após aprovação prévia.

 Atualmente com 28 anos, Paulinho está desde 2015 no Guangzhou Evergrande. Sob o comando de Luiz Felipe Scolari no time chinês, o volante foi duas vezes campeão nacional, venceu duas vezes a Supercopa da China e conquistou uma Liga dos Campeões da Ásia. A boa fase no clube rendeu novas convocações para a seleção brasileira depois da chegada de Tite ao comando.

Notícias relacionadas