Cássio considera greve da UEPB inoportuna - WSCOM

menu

Paraíba

29/04/2011


UEPB: Cássio considera greve inoportuna

UEPB

Foto: autor desconhecido.

A greve dos servidores da UEPB foi considerada pelo ex-governador Cássio Cunha Lima (PSDB) como desnecessária. Segundo o futuro senador, os salários estão em dia e os valores pagos estão entre os melhores do Nordeste.

“se existe um pleito ao governo do Estado, este deve ser feito nas instancias próprias, sendo a greve na opinião dele, o recurso somente utilizado após encerradas de todas as possibilidades de negociação, ‘o que não é o caso’”, destacou.

Cássio fez questão de ressaltar que a autonomia da UEPB é uma conquista de toda a sociedade e que não está ameaçada: “É preciso esclarecer à sociedade o que está acontecendo e quem é o responsável por essa questão do duodécimo da Universidade.

Segundo o ex-governador, Ricardo assumiu o governo em janeiro e determinou que os repasses dos duodécimos aos demais poderes e à UEPB, neste inicio de ano seriam feitos a partir da média dos 12 meses anteriores, ocorre que o governo que o antecedeu, deixou de fazer um repasse e a média da UEPB teria sido diminuída.

“Não vai adiantar a tentativa de alguns setores em partidarizar esse debate acusando o governador de ser contra Campina pois isso é uma tremenda bobagem e a população tem discernimento suficiente para perceber manobras nesse sentido e já deu diversas provas de que sabe quem diz a verdade e quem tenta manipular a informação,” declarou.

“Participei de praticamente todos os movimentos mais importantes da UEPB e sei do meu papel na efetivação da autonomia da entidade e por isso mesmo acredito que tenho legitimidade para fazer estas afirmações que em nada são contrários às reivindicações dos servidores porém manifesto a minha preocupação com os principais prejudicados que são os alunos da universidade, muitos dos quais em processos de conclusão dos seus cursos” afirmou Cássio.

O futuro senador disse que é preciso entender que o governador Ricardo Coutinho não pode ser responsabilizado por algo que não tem culpa, “é preciso esclarecer que foi o governo anterior quem deixou de fazer repasses obrigatórios para a UEPB e que Ricardo não pode ser responsabilizado por erros dos outros, o que ele está fazendo, com bastante propriedade, inclusive, é equilibrar as contas do Estado. O senador disse que se está ocorrendo algum desentendimento entre o governo e a UEPB, o local apropriado para resolver é a mesa de negociação, “creio que o instrumento da greve deve ser sempre a última opção para qualquer movimento”.

 

Notícias relacionadas