Caso Geraldinho: taxista acusado de matar adolescente é vítima de atentado na Ca - WSCOM

menu

Policial

24/08/2005


Caso Geraldinho: taxista acusado de

O taxista Francisco José dos Santos, 35 anos, principal acusado do assassinato do estudante Geraldo Antônio Gomes Filho, “Geraldinho”, 12 anos, encontra-se internado em estado grave no Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, vitima de atentado onde recebeu três tiros de revólver.

A agressão ao taxista Francisco José dos Santos aconteceu por volta das 21h50 de anteontem quando ele, juntamente com seu amigo Leandro Pereira, 18 anos, estavam sentados em uma das mesas do “Bar Bela´s”, localizado na rua 19 de Março, 126, próximo ao Presídio, no Baixo Roger. Leandro também foi atingido pelos tiros e encontra-se internado no Hospital de Trauma em estado grave.

O atentado foi praticado por dois homens, que chegaram numa moto Honda, cor vermelha, de placa não identificada. Eles usavam capacetes. O carona sacou de uma arma e disparou seis tiros em direção a Francisco.

Pego de surpresa Francisco não teve tempo de correr para evitar ser atingido. Três tiros lhe acertaram, sendo dois no tórax e outro no ombro. Leandro Pereira, amigo do taxista, foi atingido por um tiro no pescoço. Os dois feridos caíram ao receberem os tiros, o que os livrou de serem chacinado na hora, pois o carona ainda desceu da moto, mas ao olhar debaixo da mesa viu os dois corpos inertes, subiu no bagageiro e o motoqueiro fugiu em alta velocidade em direção a Avenida Ayrton Senna.

O taxista Francisco José dos Santos e seu amigo Leandro Pereira, foram socorridos por pessoas residentes nas proximidades do “Bar Bela´s”. O Centro Integrado de Operações Policiais – Ciop, foi avisado sobre o tiroteio. O capitão-PM Jonathan Gomes Fortes, oficial coordenador do Ciop, enviou ao “Bar Bela´s” a viatura 0614, do 1º Batalhão, comandada pelo cabo-PM Renilson de Freitas Silva, mas quando ele chegou ao local, as pessoas informaram que as vítimas haviam sido feridas.

O taxista Francisco José dos Santos respondeu a processo crime no 1º Tribunal do Júri Popular da Comarca de João Pessoa, acusado do assassinato do estudante Geraldo Antônio Gomes Filho, “Geraldinho”, fato ocorrido no interior do Fiat táxi, na noite do dia 29 de outubro de 2002.

O Segundo a Polícia, Francisco e sua mulher, que na época moravam vizinhos a vítima, em um Condomínio localizado no Conjunto Padre Zé, saíram com Geraldinho para passear. Horas depois, o táxi com o cadáver de “Geraldinho” foi localizado abandonado na rampa de acesso a entrada principal do Hospital Samaritano, e o crime foi desvendado no mesmo dia.

Francisco José dos Santos e sua mulher foram indiciados no Inquérito Policial acusados da autoria do crime. Dias depois eles tiveram a prisão preventiva decretada, foram recolhidos ao Presídio, mas depois liberados pela Justiça, por excesso de prazo. O julgamento do casal foi marcado várias vezes, mas os advogados conseguiram adiá-los. Por conta da demora no julgamento, Geraldo Antônio Gomes, pai do estudante assassinado, acabou tendo complicações cardíacas e no último dia 29 morreu no hospital.

Notícias relacionadas