Caso Geraldinho: juiz adia julgamento para 26 de outubro - WSCOM

menu

Policial

30/08/2005


Caso Geraldinho: juiz adia julgamento

Atendendo a uma solicitação do advogado Harey Hardemberg Medeiros Cordeiros, o juiz titular do 2º Tribunal do Júri, José Aurélio da Cruz, adiou para o final de outubro o julgamento do taxista Francisco José dos Santos e de sua companheira Elisângela Pereira da Silva, acusados de no dia 29 de

outubro de 2002 matar o estudante Geraldo Antônio Gomes Filho (Geraldinho), com um disparo de pistola na cabeça.

A solicitação do advogado está baseada no fato de Francisco José dos Santos se encontrar internado, vítima de um atentado à bala que sofreu há poucos dias. Já que prefere julgar o casal de acusados num mesmo júri, o juiz José Aurélio da Cruz acolheu o pedido de adiamento, remarcando o júri para as 8 horas do dia 29 de outubro deste ano.

Pelo que foi apurado até agora, o crime teria acontecido na praia de Manaíra, mas com desfecho na frente do Hospital Samaritano, no bairro da Torre. O corpo de Geraldinho foi encontrado por funcionários do hospital dentro do táxi Pálio de placas MID 0460.

O casal havia fugido em outro táxi para o Estado de Pernambuco e só reapareceu dias depois. Prestou depoimento na Polícia e foi recolhido ao presídio do Roger, em João Pessoa.

O julgamento será presidido pelo juiz titular do 2º Tribunal do Júri Popular, José Aurélio da Cruz, tendo o promotor Newton Vilhena na acusação e o advogado Harey Hardemberg fazendo a parte da defesa.

Pelos depoimentos prestados pelo casal tudo não teria passado de um acidente. Francisco José alega que estava tendo uma discussão com a companheira e que ao notar que ela iria sacar uma arma, resolveu segurar. Nesse momento a arma disparou e atingiu Geraldinho que se encontrava no banco traseiro do veículo.

Notícias relacionadas