Caso FAC: forte esquema de segurança e otismismo mobilizam as partes - WSCOM

menu

Política

30/07/2007


Caso FAC: forte esquema de

O julgamento do processo de distribuição de cheques da FAC (Fundação de Ação Comunitária) a partir desta segunda-feira, à tarde, expõe advogados de acusação e defesa apostando em vitória. O advogado do governador Cássio Cunha Lima, Eduardo Ferrão, não quis falar à imprensa, mas deixou escapar que está tranqüilo quanto ao resultado favorável ao seu cliente, condição também expressa, noutra vertente, pelo advogado Fernando Neves, da parte da acusação. O TRE preparou esquema especial de segurança.

Os advogados do governador, além de Torreão – Luciano Pires, Delosmar Mendonça e Fabio Andrade, voltaram a dizer neste domingo não terem dúvidas de que “todos os dados anexados ao processo apontam objetivamente uma condição de regularidade das ações produzidas pela FAC, portanto, há clareza no sentido de manter o status quo administrativo mantendo o mandato sem problemas”.

Para eles, os últimos fatos registrados a partir do Tribunal de Contas e até mesmo as instruções de investigação ao longo do processo resultam em entendimento favorável à regularidade das ações da FAC.

“Estamos tranqüilos e seguros de que esse entendimento é e se manterá vitorioso também no julgamento”, disse Luciano Pires.

Advogados de acusação dizem esperar justiça
O advogado do PMDB, Marcelo Waick, afirmou ao WSCOM Online que o processo tem provas suficientes para que o pedido seja aprovado pela Corte do Tribunal Regional Eleitoral.

“O nosso trabalho foi realizado e agora nos resta aguardar. E nossa expectativa é que se faça justiça, até porque temos cinco pareceres que apontam irregularidades na conduta do atual Governo”, comentou.

Weick explicou que várias avaliações realizadas por órgãos diferentes apontaram apara irregularidades quanto à distribuição de cheques da Fundação de Ação Comunitária: o parecer do Tribunal de Contas do Estado, o parecer técnico de uma perita judicial – auditora do Tribunal de Contas da União -, a perícia de um assistente técnico do Ministério Público Federal e o próprio parecer do Ministério Público Eleitoral – que gerou o pedido de cassação.

Notícias relacionadas