Caso FAC: advogados vão indagar Procurador sobre omissão de investigação ‘com re - WSCOM

menu

Política

29/07/2007


Caso FAC: advogados vão indagar



Luciano Pires: MPE perdeu a isenção

O processo de julgamento da ação do PCB pedindo a cassação do governador Cássio Cunha Lima por abuso de poder terá, depois da leitura do relatório pelo juiz Carlos Lisboa, o pronunciamento da Acusação da Defesa. Antes, advogados vão indagar com documentos por que o procurador eleitoral José Guilherme Ferraz insistiu em omitir a realização de investigação administrativa ouvindo mais de trezentas pessoas beneficiadas pela FAC “sem apontar nenhuma irregularidade”.

O advogado Luciano Pires informou neste domingo, após uma série de reuniões com o advogado Eduardo Ferrão, Delosmar Mendonça Junior e Fabio Andrade, que questionará ainda por que o procurador se apresentou contrário à juntada desses documentos aos autos processuais.

– A investigação administrativa paralela produzida pelo Ministério Público ouviu mais de trezentas pessoas nos mais diferentes lugares do Estado envolvendo os promotores eleitorais das diversas regiões, cujo resultado não apresentou nenhuma irregularidade, mas o procurador José Guilherme Ferraz omitiu esse documento, não admitiu aceitar a juntada aos autos por motivos que precisam ser esclarecidos – argumentou Pires.

Ele foi mais além ao afirmar que o Procurador perdeu a isenção que precisaria ter no processo ao assumir a condição de defensor de parte processual. Pires repetiu parte do relatório de José Guilherme Ferraz, segundo ele, assumindo a condição de parte.

Disse ele: ´‘esta procuradoria instarou o referido procedimento com o objetivo de subsidiar sua atuação institucional ‘custus legis’ e eventualmente como parte neste e/ou outro procedimento judicial correlato’.

Notícias relacionadas