Casal é preso suspeito de aplicar golpes em clientes na negociação de veículos - WSCOM

menu

Policial

14/07/2016


PC prende casal por estelionato em JP

ESTELIONATO

Foto: autor desconhecido.

Na manhã desta quinta-feira (14), a Polícia Civil da Paraíba prendeu o empresário Marcelo Júnior da Silva, 35 anos, natural de Caruaru/PE e sua esposa, a campinense Miria Costa Lopes, 37 anos, proprietários da concessionária Marcelo Car, localizada no bairro de Mangabeira, em João Pessoa. O casal é acusado de praticar fraudes em negociação de veículos e na utilização de cartões bancários, uma das vítimas teve prejuízo superior a R$ 80 mil reais. As imagens e informações foram divulgadas pela Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado da Segurança e Defesa Social.

De acordo com a Delegacia de Defraudações e Falsificações de João Pessoa (DDF), o casal foi localizado após denúncia. Os dois suspeitos foram presos em flagrante, por estelionato, em um novo estabelecimento do casal que estava sendo montado também no bairro de Mangabeira. Marcelo Júnior da Silva e Miria Costa Lopes foram encaminhado a carceragem da Central de Polícia, onde aguardam audiência de custódia.

GOLPE

De acordo com a Delegacia de Defraudações, em uma das fraudes promovida pelo casal de empresários, a vítima entregou o cartão de crédito, para que fosse cobrada a quantia de R$ 9 mil, valor firmado na negociação de um veículo. No entanto, os suspeitos passaram a quantia de R$ 23,5 mil – apropriando-se dos valores passados a mais.

Além disso, nesse caso ressaltado pela polícia, o casal de empresários não cumpriu com suas obrigações e não entregou os documentos do veículo negociado. No final, a vítima descobriu que o veículo negociado não poderia ser transferido, uma vez que seria financiado.

A vítima informou à polícia que, ao procurar os suspeitos para desfazer a negociação, Marcelo Júnior da Silva e Miria Costa Lopes pediram que a vítima pagasse a quantia de R$ 9 mil, para que a negociação pudesse ser rescindida, de maneira que causaram o prejuízo total de pelo menos 89 mil reais. Dessa forma, as vítimas continuavam sendo mantidas em erro pelos suspeitos. O casal emitia cheques com assinaturas falsas e cheques sem fundos. O objetivo do casal de estelionatários era ludibriar as vítimas e ganhar tempo na execução das fraudes, enquanto fechavam as portas do estabelecimento e se mudavam para outro endereço ignorado.

DENÚNCIAS

Existem informações no sentido de que os suspeitos lesaram diversas outras vítimas, de maneira que a DDF pede que qualquer pessoa que tenha sido vítima do casal compareça à Delegacia para o registro da ocorrência policial. Qualquer denúncia poderá ser encaminhada à DDF também pelo disque denúncia da Polícia Civil – tel 197 (sigilo garantido).  

Notícias relacionadas