Câmara de CG poderá ter CPI para investigar venda da Celb - WSCOM

menu

Política

30/08/2005


Câmara de CG poderá ter

O vereador Marcos Marinho (PMDB) está propondo a instalação de uma CPI – Comissão Parlamentar de Inquérito – para apurar o destino dos recursos da venda da Companhia de Eletricidade da Borborema (CELB). A companhia foi privatizada na gestão do ex-prefeito Cássio Cunha Lima.

Para isso, o vereador tem que colher, no mínimo, seis assinaturas de seus pares, o que indica uma perspectiva de aprovação, já que a bancada de situação na Câmara tem com seis parlamentares.

A proposta é que a CPI funcione pelo prazo de 60 dias, prorrogáveis por menor ou igual período, se necessário for, e que seja composta por cinco membros, a serem indicados pela Mesa Diretora da Casa, observando-se a pluralidade partidária do colegiado.

Segundo Marinho, apenas R$ 26.523.978,26, de um total de R$ 100.500.682,37 apurados pelo município com a venda da CELB, foram contabiliados pela Secretaria de Finanças, “gerando consequentemente um sumiço extraordinário da ordem de R$ 73.976.704,11, conforme apurado por auditoria contratada pela então prefeita Cozete Barbosa e somente agora por ela trazido a público”.

Ele destacou a importância da instalação da CPI, argumentando que cabe à Câmara Municipal a responsabilidade, como órgão autorizativo, de debater onde os recursos da venda da Companhia foram investidos.

Ontem, o prefeito Veneziano Vital do Rêgo questionou os detalhes da transação. “Ora, venderam o maior patrimônio da cidade e ainda ficaram devendo”, disse Veneziano. Ele também assegurou a abertura de um processo de licitação para a contratação de auditoria destinada a investigar todo o processo de venda e privatização da companhia. O processo licitatório está previsto para ser iniciado em setembro ou outubro.

Notícias relacionadas