Cagepa aguarda proposta do Treze para negociação, mas clube nada apresenta - WSCOM

menu

Paraíba

25/07/2009


Cagepa aguarda proposta do Treze

A novela entre a Cagepa e o Treze está próxima de novo capítulo: embora a diretoria da empresa pública tenha cedido prazo de trinta dias para receber proposta com vistas a negociação da divida no valor de R$ 1,9 milhão, até a sexta-feira passada (ontem) o clube não havia apresentado nenhuma alternativa. A área financeira ainda levanta os débitos dos demais clubes profissionais do Estado.

Fontes ligadas à Cagepa informaram que o prazo termina no próximo dia 31 devendo gerar desdobramentos na esfera judicial, caso a diretoria do time campinense não atenda ao apelo da empresa para apresentar proposta.

Por telefone, o presidente da empresa, Edisio Souto, não quis se pronunciar sobre os desdobramentos, apenas repetiu que tem recomendado à área jurídica que busque ao máximo estabelecer entendimentos, mesmo com prazo, visando encontrar alternativa negociada para a dívida.

– Estamos abertos ao diálogo e à negociação, por isso não temos dúvidas de que a diretoria do Treze se pronunciara no prazo oferecido conforme entendimentos acordados entre as partes porque a empresa busca solução para o problema – afirmou.

Mesmo sem o dirigente querer falar dos desdobramentos, o Portal levantou que, se não apresentar proposta, a Justiça voltará a agir bloqueando as rendas dos jogos do Treze para abater na divida do clube com a Cagepa.

Dívida preocupante – Edisio Souto afirmou que está exercendo uma missão difícil à frente da Cagepa porque se deparou com um volume elevado de inadimplência envolvendo setores de importância, entretanto, ponderou que manterá a política de cobrança porque sem o resgate dos valores a empresa, segundo ele, estará inviabilizada para fazer frente às suas obrigações e investimentos públicos visando atender demandas de crescimento urbanístico.

O presidente confirmou que a área técnica da Cagepa conclui em breve levantamento sobre a realidade dos demais clubes com a empresa, cujo desdobramento será de receber os valores que por ventura estejam devidos à empresa.

Notícias relacionadas