Cafu reconhece concorrência, mas se diz "100% na Copa" - WSCOM

menu

Mais Esporte

04/03/2006


Cafu reconhece concorrência, mas se

O lateral-direito Cafu anunciou na tarde desta sexta-feira aquilo que Carlos Alberto Parreira nunca escondeu: o atleta do Milan tem vaga certa na Copa do Mundo da Alemanha.

“É 100% de presença na Copa do Mundo”, afirmou o capitão da seleção brasileira. “Mas para isso, preciso jogar no Campeonato Italiano e colaborar com o Milan para garantir lugar no grupo”, completou, em entrevista coletiva concedida pelo jogador na Fundação Cafu.

A instituição, criada pelo atleta em 2001, fica no Jardim Irene, bairro carente localizado na Zona Sul de São Paulo.

Cafu reconheceu que a boa fase de Cicinho, lateral do Real Madrid, coloca em disputa a vaga de titular na sua posição. “Existe uma concorrência leal em todas as posições da seleção, e vou trabalhar pra ser titular”.

O atleta está em São Paulo se recuperando de uma artroscopia no joelho esquerdo realizada em fevereiro, e por conta da contusão ficou de fora do amistoso contra a Rússia, vencido pela equipe de Parreira por 1 a 0, na última quarta-feira. Cicinho foi o titular no amistoso.

O capitão da seleção fez questão de afirmar que vai trabalhar, antes de mais nada, para estar na seleção. “Vou trabalhar para ser o titular, independentemente da formação tática e de quem serão os jogadores escalados no ‘quarteto mágico'”, destacou em seguida.

Em uma das perguntas da entrevista, falou-se sobre o vazio que existiu no Brasil durante vários anos para a posição de reserva de Cafu na lateral-direita da seleção. O jornalista perguntou ao jogador se, com o crescimento de Cicinho na seleção e no Real Madrid, ele via agora um atleta em condições de substituí-lo. Cafu respondeu de forma segura e diplomática, sorrindo: “Depois da Copa, com certeza”.

Surpresas e evolução

Cafu lembrou que pode haver surpresas no grupo que vai ao Mundial. “Muita coisa pode acontecer até a Copa”, disse. No caso dos jogadores que vêm sendo criticados por suas atuais fases nos clubes, como Dida, no Milan, e Ronaldo, no Real Madrid, o atleta ressaltou que “quando chega o Mundial, é tudo diferente”, da preparação ao clima, passando pelo entrosamento na seleção.

Cafu avaliou ter evoluído muito desde a Copa de 1994 e nas edições seguintes do Mundial, em 1998 e 2002. O atleta vê hoje “um Cafu maduro, experiente, que ganhou muito, perdeu um pouco, empatou às vezes”.

Volta à Itália

Cafu confirmou que volta à Itália no começo da próxima semana. Ele passará por uma bateria de testes no departamento médico do Milan, e entre terça e quarta-feira já deve treinar no campo, com os companheiros. O lateral explicou que tem mantido contato permanente com a comissão técnica do clube milanês, inclusive com o técnico Carlo Ancelotti.

Cafu planejava ficar mais alguns dias no Brasil, mas o Milan determinou que o lateral voltasse o quanto antes para a Itália. A idéia do clube é deixar o atleta em condições de jogo em duas ou três semanas. Com isso, o Milan demonstra que pretende contar com Cafu na reta final do Campeonato Italiano e da Liga dos Campeões da Europa. Além de deixar sugerido que considera o atleta importante dentro de seu elenco.

Pós-Copa

O jogador revelou ainda que deve permanecer na Europa após a Copa da Alemanha. “Decidirei sobre isso no mês que vem”, afirmou o lateral, quando questionado se volta para um clube brasileiro ou se continua no futebol europeu após o Mundial. Segundo Cafu, já existe uma proposta de contrato aguardando por ele na Europa. Ao responder se há possibilidade de continuar no Milan, Cafu reforçou: “Sim, só depende de mim. Decido isso no mês que vem”.

Notícias relacionadas