Cada vez mais magro, Palmeiras bate Inter por 3 a 2 - WSCOM

menu

Mais Esporte

13/08/2005


Cada vez mais magro, Palmeiras

Cada vez mais magro, o Palmeiras segue imbatível desde a chegada do técnico Emerson Leão. Neste sábado, o time paulista recebeu o Internacional no Parque Antarctica, venceu por 3 a 2 em partida válida pela 20ª rodada e ficou a apenas quatro pontos da liderança do Campeonato Brasileiro.

O resultado dá seqüência ao “regime” imposto por Leão desde que chegou ao Palmeiras. Nesta semana, o treinador comparou sua equipe a uma pessoa obesa. “Quando eu cheguei, encontrei o grupo com 180kg. Perdemos 30kg até agora, mas isso é imperceptível para quem estava na nossa situação. Por isso, precisamos continuar vencendo para chegar a 80kg de dieta”, contou o comandante.

Desde que Leão assumiu o comando do Palmeiras, a equipe acumulou cinco vitórias e três empates em oito partidas. Este rendimento colocou o clube paulista entre os melhores do Campeonato Brasileiro atuando dentro de casa.

No Parque Antarctica, aliás, o Internacional segue em jejum. A equipe gaúcha não vence o Palmeiras como visitante desde o dia 28 de outubro de 2001, quando fez 2 a 1 no rival paulista.

O jejum não resistiu nem mesmo à excelente campanha do Internacional longe de casa. Até aqui, o time gaúcho é o que mais somou pontos atuando como visitante. Nas dez partidas que fez como fora do Beira-Rio, foram cinco vitórias, dois empates e três derrotas.

No entanto, a derrota para o Palmeiras confirma a reta descendente do Internacional no Brasileiro. A equipe gaúcha não vence há seis rodadas. Neste período, acumulou três derrotas e três empates.

A vitória e o grande jogo foram um presente para todos os pais palmeirenses.

Emerson Leão

Com esta série negativa, o Internacional caiu para a 11ª colocação do Campeonato Brasileiro. O time gaúcho estacionou nos 31 pontos e foi superado exatamente pelo Palmeiras, que tem a mesma pontuação e um saldo de gols superior (seis contra quatro).

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, Palmeiras e Internacional jogarão no domingo, às 16h. O time paulista viajará ao Rio de Janeiro para encarar o Fluminense e os gaúchos receberão o Coritiba no Beira-Rio.

O jogo

Desde o início, Palmeiras e Internacional protagonizaram um confronto surpreendente no Parque Antarctica. Primeiro porque o time paulista, mesmo jogando dentro de casa, entrou com proposta de explorar os contra-golpes e cedeu espaço para os gaúchos atacarem.

ENTRADA POLÊMICA

O Internacional deixou o gramado do Parque Antarctica revoltado com a atuação do árbitro mineiro Alício Pena Júnior. Tudo devido ao lance que originou o terceiro gol do Palmeiras. O meia Marcinho havia saído de campo para ser atendido pelo departamento médico, voltou durante o lance e aproveitou o espaço para criar a jogada concluída por Juninho Paulista.

“Não estou nem reclamando da pessoa do árbitro, que tem muita qualidade e já mostrou isso nos outros jogos. Mas hoje (sábado) nós fomos muito prejudicados por isso. O Marcinho não poderia ter entrado durante a jogada”, disparou o técnico Muricy Ramalho.

No entanto, o técnico Emerson Leão não aceitou o choro colorado. “Não temos culpa se os jogadores deles são desatentos e não tem visão periférica. Todo mundo viu o árbitro autorizar a volta do Marcinho”, garantiu.

Foi assim, mais incisivo, que o Internacional criou as melhores oportunidades para inaugurar o placar no primeiro tempo. No entanto, a falta de eficiência ofensiva dos visitantes foi castigada aos 41min. Correa bateu falta da direita e encontrou o zagueiro Gamarra dentro da área. O paraguaio tocou de cabeça e mandou a bola no canto esquerdo de Clemer.

O gol aumentou a disposição do Palmeiras para atuar baseado nos contra-ataques. Porém, a equipe da casa sequer teve tempo para se reorganizar em campo. Dois minutos depois, Rafael Sóbis recebeu dentro da área, driblou Reinaldo para a esquerda e chutou cruzado para empatar o jogo.

“O mais importante é que não desanimamos depois do gol deles. Seguimos fazendo o nosso jogo, procurando cumprir as determinações táticas que nós tínhamos combinado. Com isso, fomos premiados com o empate”, analisou o autor do gol gaúcho.

A reação do Internacional igualou o confronto, no segundo tempo, ao que vinha acontecendo antes do intervalo. O time gaúcho seguiu pressionando, com mais posse de bola, e o Palmeiras apostou nos contra-golpes.

Em um deles, aos 20min, o Palmeiras passou à frente novamente. Reinaldo recebeu dentro da área e foi puxado por Gavilán. A penalidade foi cobrada por Marcinho, que colocou a bola no canto esquerdo de Clemer e marcou seu 12º gol no Brasileiro, igualando-se aos artilheiros Alex Dias e Fred.

Assim como no período inicial, porém, o Internacional reagiu com impressionante velocidade. Aos 22min, Jorge Wagner cobrou falta com categoria e mandou a bola no ângulo direito do goleiro Sérgio, que nem se mexeu.

Desta vez, porém, o Palmeiras não aceitou a reação do Internacional. Prova disso é que, aos 25min, o time da casa passou à frente pela terceira vez no jogo. Marcinho arrancou com a bola e lançou dentro da área para Juninho Paulista, que bateu de primeira para marcar.

PALMEIRAS

Sérgio; Correa, Daniel, Gamarra e Fabiano; Roger, Reinaldo, Juninho Paulista (Leonardo Silva) e Marcinho; Warley (Washington) e Gioino (Alceu)

Técnico: Emerson Leão

INTERNACIONAL

Clener; Índio, Wilson e Vinícius (Bolívar); Élder Granja, Tinga (Perdigão), Gavilán (Michel), Jorge Wagner e Alex; Fernandão e Rafael Sóbis

Técnico: Muricy Ramalho

Local: estádio Parque Antarctica, em São Paulo (SP)

Árbitro: Alício Pena Júnior (Fifa-MG)

Auxiliares: Marco Antônio Gomes e Guilherme Dias Camilo (ambos de MG)

Cartões amarelos: Rafael Sóbis (I), Correa (P), Bolívar (I), Gavilán (I), Juninho Paulista (P), Reinaldo (P)

Cartões vermelhos: Reinaldo (P)

Gols: Gamarra, aos 41min, Rafael Sóbis, aos 43min do primeiro tempo; Marcinho, aos 20min, Jorge Wagner, aos 22min, Juninho Paulista, aos 25min do segundo tempo

Notícias relacionadas