Cabañas faz dois e complica a vida do Peixe na Libertadores - WSCOM

menu

Mais Esporte

16/05/2008


Cabañas faz dois e complica



Carrasco do Fla, o atacante Cabañas também complicou a vida do Santos

Não era dia do Peixe. O Santos perdeu para o América-MEX por 2 a 0, nesta quinta-feira, no estádio Azteca, em mais um dia inspirado do atacante paraguaio Salvador Cabañas, autor dos gols.

Agora, a equipe santista terá que lutar muito para inverter a vantagem mexicana na Vila Belmiro, na próxima semana. Os brasileiros ainda foram prejudicados com um gol anulado aos 45 minutos do segundo tempo. Agora, o Peixe terá que vencer por três gols de diferença para se classificar diretamente para a semifinal da Taça Libertadores. Caso o time do técnico Emerson Leão vença por 2 a 0, a classificação será decidida nos pênaltis. Se o América perder por dois gols de diferença mas fizer gol, avança na competição.

O grande destaque da partida foi Cabañas, que já havia sido o carrasco do Flamengo no Maracanã. O jogador mostrou muita categoria e deixou sua marca por duas vezes em grande estilo.

Cabañas faz jus à fama de artilheiro

O Santos começou fazendo tudo certo: marcando com correção e tocando a bola de primeira, buscando espaços, sem nenhuma afobação. Até teve chance para marcar logo no início, quando, aos dois minutos, Kléber Pereira arriscou de esquerda e obrigou Ochoa a espalmar.

Encolhido, o América apenas assistia ao bom toque de bola do Peixe. A saída para os mexicanos eram os chutes para a frente, sempre na direção de Cabañas. Até os 20 minutos, o paraguaio esteve bem vigiado pela dupla Fabão e Marcelo.

Cabañas, porém, provou que é um jogador perigoso. O Peixe vacilou naquilo que não poderia jamais: deixar o atacante livre. Aos 24, em cobrança de escanteio da esquerda, a bola cruzou toda a área santista e sobrou para Cabañas. Sozinho, ele matou com tranqüilidade e chutou por baixo das pernas de Fábio Costa.

Após sofrer o gol, o Santos se encolheu. Deu campo para o América jogar e tentava descolar um contra-ataque para diminuir o prejuízo. O time de Emerson Leão até encontrou espaços para tentar a resposta. No entanto, faltou capricho na hora do passe. Kléber Pereira, isolado, não conseguia dominar de frente para o gol. Lima, por sua vez, esteve tão mal que chegou a tropeçar na bola.

No fim do primeiro tempo, o América teve duas chances para liquidar o Peixe. Aos 41, a bola foi cruzada da esquerda e Juan Carlos Silva subiu sozinho para cabecear. A bola passou à direita. Aos 43, Rojas entrou livre. A defesa santista parou pedindo impedimento e deixou o adversário chutar. Fábio Costa salvou. No rebote, Cabañas tentou encobrir o goleiro, que defendeu.

O segundo tempo começou bem aberto, com o Santos tomando a iniciativa, mas dando espaços para os perigosos contra-ataques do América. O Alvinegro criou sua primeira chance logo aos 4 minutos, quando Lima escapou pela direita e mandou uma bomba de pé direito, obrigando Ochoa a fazer boa defesa.

O América, por sua vez, ia explorando o enorme espaço que havia entre o meio-de-campo e a defesa alvinegra. Por ali, Cabañas desfilava, distribuindo o jogo e abrindo a defesa santista. Aos 17 minutos, o parrudo paraguaio recebeu lançamento pela esquerda, dominou no peito, invadiu a área e só rolou na saída de Fábio Costa. Um belo gol.

Com tamanha desvantagem no placar, o Peixe se mandou para o ataque. Um tanto quanto desordenadamente. Aos 19, Rodrigo Souto tentou do meio da rua e quase surpreendeu Ochoa, que mandou para escanteio.

Atrás de um gol que facilitaria bastante a sua vida no jogo de volta, o Peixe foi para cima dos mexicanos, mas pecou muito no último passe e na pontaria. Aos 29, Trípodi arriscou de longe e mandou por cima do gol. Aos 34, o argentino fez boa jogada pela ponta esquerda e cruzou, mas Sebá conseguiu o corte antes de a bola chegar para Kléber Pereira.

Os avanços do Santos deram ao time da casa mais espaço para contra-atacar. Aos 37, Cabañas recebeu novamente sozinho dentro da área, matou no peito com estilo e chutou de esquerda. Fábio Costa, bem posicionado, evitou o que seria o terceiro do atacante paraguaio. Aos 40, o lance de mais emoção para os brasileiros. Após um escanteio da direita, Fabão subiu e desviou, a bola sobrou dentro da área para Trípodi, que não conseguiu alcançar e perdeu uma boa chance.

Aos 45 minutos, um motivo de sobra para o Santos reclamar. Kléber Pereira invadiu a área, driblou o goleiro Ochoa e chutou para o fundo do gol. O árbitro Hector Baldassi, erradamente, anulou o gol e complicou a vida do Peixe.

Notícias relacionadas