Buratti diz que errou e que sofre perseguição do PT - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

25/08/2005


Buratti diz que errou e

O advogado Rogério Tadeu Buratti, ex-secretário de Governo do ministro da Fazenda, Antonio Palocci, durante a gestão do petista na prefeitura de Ribeirão Preto (SP), disse, em seu depoimento na CPI dos Bingos, que até hoje nada foi provado contra ele e que nunca sofreu nenhum tipo de processo. Contou que foi excluído dos quadros do PT, condenado tacitamente pelo partido e nunca mais conseguiu ocupar um cargo público.

“Sofri pessoalmente uma espécie de perseguição banal, uma invasão profunda”, disse, alegando ainda que pessoas que conviveram com ele também foram perseguidas pelo PT.

Buratti – que foi assessor do ministro da Fazenda, Antonio Palocci, em sua gestão na Prefeitura de Ribeirão Preto – é acusado de ter tentado extorquir R$ 6 milhões da Gtech para garantir à empresa a concessão da exploração das loterias da Caixa Econômica Federal – um contrato no valor de R$ 650 milhões.

Rogério Buratti começou sua participação pedindo desculpas por ter atrasado o dia de seu depoimento devido a problemas de saúde. Ele afirma que teve 13 anos de sua vida envolvidos na trajetória do Partido dos Trabalhadores, dentro da criação e desenvolvimento do partido. O advogado diz que acha que deveria ter pedido exoneração (como o fez) e que deveria ter sido investigado pela CPI.

Notícias relacionadas