Brasil quer 'sinais de respeito' dos mercados, diz 'Financial Times' - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

21/10/2005


Brasil quer 'sinais de respeito'

O jornal britânico Financial Times diz nesta sexta-feira que o Brasil está “exigindo um sinal de respeito” dos mercados internacionais com sua atual política econômica.

O diário financeiro faz esta afirmação no título de uma entrevista com o secretário do Tesouro Nacional, Joaquim Levy, em que ele defende uma melhoria nas avaliações de risco dos títulos brasileiros.

Mas o FT observa que, “por mais convincentes que sejam” os argumentos de Levy, “as agências de avaliação de risco dizem que têm razões igualmente fortes para manter o Brasil como um crédito especulativo”.

Em outro texto, o jornal afirma que o corte nas taxas de juros promovido nesta semana pelo Banco Central “confirma a mudança na política monetária” brasileira.

Referendo

O Brasil também é destaque em vários jornais por causa do referendo do desarmamento.

O americano The Christian Science Monitor afirma que o debate sobre o controle de armas de fogo “está entrando em águas jamais navegadas no Brasil, onde, pela primeira vez em qualquer lugar do mundo, uma proposta de proibição da venda de armas será diretamente apresentada aos eleitores”.

Outro jornal americano, The Miami Herald, diz que o referendo pode gerar “medidas dramáticas para frear a violência que tem paralisado cidades inteiras” no Brasil.

O espanhol El País destaca a incerteza a respeito do resultado, observando que as campanhas publicitárias, o medo de restrições ao direito de legítima defesa e o desgaste político do governo fizeram ruir a liderança que “sim” ao desarmamento possuía no começo da campanha.

Já o francês Le Figaro publica uma reportagem sobre a violência no Rio de Janeiro, dizendo que “os jornalistas não podem mais entrar nas favelas” e que os cariocas “estão condenados a permanecer como reféns de dois Estados, de um lado as autoridades oficiais, do outro as gangues da droga”.

Grã-Bretanha

Na Grã-Bretanha, o The Independent estampa na capa sua indignação com o que críticos chamam de impunidade dos policiais britânicos que matam pessoas quando estão na ativa – um dos casos mais recentes foi o de Jean Charles de Menezes, em Londres.

Com a absolvição nesta semana de policiais que dispararam contra um homem armado com uma perna de mesa, já são 30 os casos deste tipo desde 1993 no país, critica o diário londrino.

Jornais britânicos também dão destaque aos estudos divulgados na quinta-feira que mostram que a Floresta Amazônica está sendo destruída a um ritmo mais acelerado do que se pensava.

O The Times compara a área afetada anualmente a “dois terços do País de Gales”, enquanto o The Guardian diz que os estudos revelaram “alguns fatos surpreendentes”.

Bajulação à texana

O Los Angeles Times publica uma reportagem sobre a possível nova integrante da Suprema Corte americana, Harriet E. Miers, que, segundo o jornal, “pode ensinar uma coisa ou duas quando o assunto é adulação”.

O diário californiano reproduz bilhetes enviados por Miers ao presidente americano, George W. Bush, quando ele era governador do Texas e que, para o jornal, mostram que ela “admirava seu chefe e não tinha medo de mostrar isso”.

Em um deles, Miers diz que Bush era “o melhor governador de todos os tempos”. Em outro, ela afirma que “o Texas é abençoado” por ter Bush à frente do governo.

“Suas fortes palavras de louvor não pararam depois que seu chefe chegou à Casa Branca (levando-a com ele)”, diz o Los Angeles Times, observando que, em julho, ela disse que sua “admiração pela liderança do presidente e da senhora (Laura) Bush tem sido reiterada praticamente todos os dias”.

Notícias relacionadas